115 dias na UTI

Uma quimioterapia “preventiva”, baixa imunidade do organismo, internação, entubação… Mas Deus trouxe minha esposa de volta à vida!

A Ainara, minha esposa, passou por uma cirurgia do intestino em outubro de 2016 e no retorno ao médico, ele disse que ela estava “curada”, não tinha mais nada. No entanto, indicou um especialista para que fosse feito um tratamento de quimioterapia “preventiva”, pois, poderia existir alguma célula cancerígena pelo corpo e a quimioterapia combateria.

Num primeiro momento, fiquei muito preocupado e não fui a favor deste tratamento. No entanto, como a Ainara é muito cuidadosa com a saúde, e o médico disse que a quimioterapia seria fraca e não tinha nenhuma contra indicação, ela resolveu fazer.

Na segunda aplicação, ela começou a passar mal, pois tinha muitas náuseas, efeito da quimioterapia. O médico resolveu interná-la para tomar medicação, visando eliminar as náuseas. No dia 31 de novembro, foi transferida para a UTI, pois sentia dores no peito e naquela mesma noite, começou a sentir dificuldade de respirar. Os médicos resolveram entubá-la, pois, constataram uma infecção na base do pulmão.

No dia seguinte, ela já estava entubada e sedada. A médica responsável me procurou e perguntou qual era a minha avaliação do quadro. Eu disse que estava muito preocupado, achando a situação grave, pois, na noite anterior ela estava conversando normalmente e agora estava naquela situação.

A médica, então, me declarou que a situação era muito pior do que eu pensava, pois, a quimioterapia havia acabado com a imunidade do organismo dela, estava sem defesa e vários órgãos estavam sendo afetados pela infecção. Acrescentou que dificilmente ela se salvaria, mas, que usariam de todos os recursos do hospital com relação a equipamentos de última geração e medicamentos para tentar salvá-la.

Disse que precisava ser “dura” comigo para que eu não saísse com a impressão de que estava tudo sob controle e, uma hora depois, recebesse a notícia de que estava tudo acabado.

Foi a mais dura e doída declaração que já ouvi.

À partir daí, começou a luta tanto presencial como a espiritual, pois, liguei para os irmãos em Cristo pedindo que orassem por ela e pouco tempo depois, a mobilização era maravilhosa.

A começar pela IAP em Vila Medeiros (SP), onde congregamos, foi se formando uma multidão que orava por ela em todos os cantos do Brasil e até fora dele. Cada dia que passava era uma vitória.

Sei que temos que esperar o tempo de Deus, mas, confesso pedindo perdão, que foi muito difícil esperar. A espera é angustiante!!! Foram 160 dias de internação, sendo 115 dias na UTI, com melhoras e pioras.

Mas, o nosso Deus é maravilhoso, ouviu as orações e teve misericórdia da minha amada.

Hoje ela está ainda com alguma dependência, apenas necessitando de fisioterapia para fortalecimento da musculatura, no entanto, sem sequelas.

Tenho certeza que Deus teve um propósito em todo este acontecimento, pois, nesse período todo acamada, não teve uma “ferida” sequer no corpo e quando foram tirados o tubo e a traqueostomia, a voz, que costuma ficar prejudicada, estava perfeita, para a Glória de Deus!

Muitas pessoas oraram, jejuaram e se uniram em oração. Ouvi de uma médica, quando ela começou a se recuperar ainda com a traqueostomia, que tinha visto poucos milagres na UTI e que a Ainara era um dele. Glória a Deus! Ouvimos isso de vários enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeutas também.
Meu sobrinho, Felipe, havia perdido a fé, por acontecimentos tristes, em que perdeu a mãe, o pai e a irmã, precocemente. Quando a Ainara melhorou, ele declarou: – “Tio, recuperei a minha fé”. Glória a Deus!

Então, em tudo isso, vimos o propósito de Deus!

Eu não tenho palavras para expressar o que passamos. Só tenho a certeza de que Deus esteve presente em todos os momento, nos protegendo e nos dando força para passar pelo vale, e que Ele fez um grande milagre na vida da minha esposa.

A Ele, toda glória a louvor!

Da. Osny Fernandes dos Santos, congrega na IAP em Vila Medeiros (São Paulo, SP)

Coral “Vozes de Júbilo” adorando a Deus no hospital, onde a irmã Ainara teve alta no último sábado
%d blogueiros gostam disto: