A boa notícia global

Não era uma nova maneira de viver, mas a própria vida

É cada vez mais comum e popular o conceito de globalização. Mesmo aqueles que desconhecem o termo estão experimentando-o, de muitas maneiras. Fomos bombardeados nas últimas semanas por novas notícias globais. Desde a crise econômica dos Estados Unidos e Europa, que pode ter como consequências mundiais o aumento do desemprego e uma recessão econômica, até a morte de Steve Jobs, criador da Apple e pai de produtos como o Macintosh, o iPod, o iPhone e o iPad. Sem dúvida, essa foi uma perda irreparável para o futuro do mundo tecnológico. O fato se sucede em apenas um lugar do planeta, porém, nos atinge direta e/ou indiretamente. O evento é local, mas, o alcance mundial!

A Bíblia também narra fatos que tomaram dimensões globais. Ela relata que Jesus nasceu num lugar insignificante (Mq 5:2), porém, ele é a única  significação de todas as coisas do passado, presente e futuro. Esse acontecimento foi projetado pelo próprio Deus, anunciado pelos profetas e executado pelo Espírito Santo. Passados alguns anos, após o início do ministério de Jesus, João Batista faz a devida apresentação: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Jo 1:29 (grifo do autor).

Não era apenas nova, mas, uma boa notícia.  Não era econômica, política ou tecnológica, mas agitou e influenciou os profissionais dessas áreas. Não era apenas para os judeus, mas para todas as pessoas. Não era um movimento ideológico, era a própria sabedoria.  Não era uma nova maneira de viver, mas a própria vida. Era o evangelho (que, em grego, quer dizer boa notícia) do Salvador e Senhor Jesus Cristo.

O tempo, a distância, as perseguições aos cristãos não impediram que o Evangelho chegasse a nós. Acordar a cada dia e relembrá-lo nos dá conforto para continuar vivendo em meio ao mundo de maldade. Conforta-nos, mas, não pode nos acomodar. Sim, devemos, a cada informação de mães que perderam seus filhos para as drogas, para cada notícia de violência e morte na família, para os casos de pedofilia, de Doenças Sexualmente Transmissíveis causadas pela prostituição e de tragédias naturais que desabrigam milhares de pessoas, anunciar a boa nova: “é chegado a vós o reino de Deus”.

Temos esperança para o futuro, o fim de todas coisas. Enquanto somos informados sobre a economia que não vai bem e a morte de um gênio da tecnologia, aguardamos, em breve, ouvir a boa notícia de que “Ele enxugará dos olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor” (Ap 21:4). Em seguida, um chamado: “Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo” (Mt 25:34). Resta-nos clamar: Maranata! Vem Senhor Jesus.

Alex S. C. Rodrigues é missionário da IAP em Salvador (BA).