Ao Pastor Osi, com carinho

Ao Pastor Osi, com carinho

Íntegra da mensagem do Pastor José Lima de Farias Filho no funeral.

1. Então subiu Moisés das campinas de Moabe ao monte Nebo, ao cume de Pisga, que está em frente a Jericó e o SENHOR mostrou-lhe toda a terra desde Gileade até Dã;

2. E todo Naftali, e a terra de Efraim, e Manassés e toda a terra de Judá, até ao mar ocidental;

3. E o sul, e a campina do vale de Jericó, a cidade das palmeiras, até Zoar.

4. E disse-lhe o SENHOR: Esta é a terra que jurei a Abraão, Isaque, e Jacó, dizendo: Å tua descendência a darei; eu te faço vê-la com os teus olhos, porém lá não passarás.

5. Assim morreu ali Moisés, servo do SENHOR, na terra de Moabe, conforme a palavra do SENHOR.

6. E o sepultou num vale, na terra de Moabe, em frente de Bete-Peor; e ninguém soube até hoje o lugar da sua sepultura.

7. Era Moisés da idade de cento e vinte anos quando morreu; os seus olhos nunca se escureceram, nem perdeu o seu vigor.

8. E os filhos de Israel prantearam a Moisés trinta dias, nas campinas de Moabe; e os dias do pranto no luto de Moisés se cumpriram. (Dt 34:1-8)

 

O último dia de Moisés

No dia em que Moisés morreu, ele subiu ao monte Nebo. Chegou numa parte alta, chamada Pisga, que ficava frontal a cidade de Jericó. (v.1)

Cento e vinte anos. Bem velhinho. O vento no rosto e os olhos vendo Jericó. Ai o Senhor Deus chegou e começou a mostrar-lhe toda a terra de Canaã. De Gileade a Dã. (v.1)

No dia da morte de Moisés, Deus mostrou tudo a ele. A terra dos seus sonhos, a terra pela qual lutou décadas, a terra pela qual gastou quase todas as suas energias. No dia de sua morte, Moisés viu toda a terra.

Posso imaginar Deus olhando para os cabelos brancos do velhinho. Mãos calosas. Têmporas gastas pelo tempo. Olhos meio embranquecidos pelo sol do deserto.

E Deus: “Moisés, meu servo, veja o Naftali; dê uma olhada na terra de Efraim e Manassés. Agora veja toda a terra de Judá até ocidente.” (v.2)

No dia da morte de Moisés, Deus está com Moisés. No último dia de sua vida nesta terra, Moisés tem a atenção total de Deus.

Os dois conversam muito: “Moisés, quero que você veja também o Neguebe. Veja a campina do vale de Jericó. Agora olhe a cidade das Palmeiras, que se estende até Zoar.” (v.3)

Posso imaginar as emoções de Moisés. Ele estava contemplando a Terra Prometida! No dia de sua morte, Deus mostrou-lhe Canaã. Não a recebeu, mas viu o grande alvo de sua vida, aos 120 anos de idade.

O Novo Testamento garante que Moisés tinha por maiores riquezas o opróbrio de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. Diz a Bíblia que Moisés, Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como quem vê aquele que é invisível. (Hb 11:26 e 27)

Seguro de que Moisés agora estava vendo não apenas a Canaã material, mas sobretudo, a espiritual, Deus sussurra nos ouvidos do seu herói: “Esta é a terra que prometi, sob juramento a Abraão, a Isaque e a Jacó, quando lhes disse: Eu a darei a seus descendentes. Permiti que você a visse com os seus próprios olhos, mas você não atravessará o rio, não entrará naquela terra”. (Dt 34:4)

Aquela não era hora de entrar na terra terrena. Aquela era a hora de partir desta terra e assegurar o bilhete de entrada na Terra Celestial, no futuro. Na Terra Prometida, não se entra individualmente, um por vez. A posse na Terra Prometida é uma promessa para um povo, o povo de Deus, reunido por Cristo Jesus, na cruz.

Disse Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive e crê em mim, nunca morrerá. Crês isto? (Jo 11:25-26).

Não se turbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. (Jo 14:1-2).

Os que morreram no passado, se reunirão com os que morrem no presente e no futuro, e juntos, aperfeiçoados em Cristo Jesus, entrarão na Terra Celeste: Todos estes receberam bom testemunho por meio da fé; no entanto, nenhum deles recebeu o que havia sido prometido. Deus havia planejado algo melhor para nós, para que conosco fossem eles aperfeiçoados. (Hb 11:39 e 40)

Por isso, Moisés, o servo do Senhor, morreu ali em Moabe, como o Senhor dissera. (v.5) Ele morreu conforme Deus queria que ele morresse, conforme a palavra do Senhor.

E diz a Bíblia que o próprio Deus o sepultou, no vale, na terra de Moabe, defronte de Bete-Peor; e ninguém soube até hoje o lugar da sua sepultura. (v.6)

 

O último dia do pastor Osi

Então, pastor Osi da Silveira, muita coisa acontece no dia da morte dos homens fiéis a Deus. Os gigantes da fé não morrem sozinhos. Deus os acompanha a vida inteira, e de uma maneira especial, os corteja e os conforta no seu último dia.

No último dia de vida dos grandes servos de Deus, os familiares os acompanham na ambulância rumo ao hospital. É o que podem e devem fazer. Mas, na maioria das vezes, os heróis de Deus já não conversam conosco. Estão ocupados, subindo ao monte com Deus. Vão ao lugar mais alto, elevado…

Vão para ver a terra, fazer o reconhecimento dela. De ponta a ponta o Senhor lhes mostra. Até que eles começam a ver, a vislumbrar o Invisível, isto é, verem Cristo Jesus, à direita do Pai.

Posso imaginar Jesus olhando e sorrindo para eles, e lhes dizendo: Venham!

No dia de sua morte, Estevão viu o céu aberto e Cristo à direita do Pai. No dia de sua maior angústia, João, do Apocalipse, viu Jesus, em pé, à direita do Pai.  No dia de sua morte, Jesus viu todo o plano do Pai ser consumado.

Durma pastor Osi, durma em paz. Um dia o senhor nos contará como foi o dia de ontem. A subida no monte, o vento no rosto, a olhada na terra, a conversa com Deus, a visão do Invisível… E a partida, com o bilhete garantido nas mãos, para um dia, entrar nas mansões celestiais, pelas portas.

Você, pastor Osi, dormirá até o dia em que Jesus ordenará ao arcanjo Miguel que toque a sua poderosa trombeta. E quando Miguel tocar a sua trombeta, você, junto com milhões de salvos, sairá da sepultura totalmente glorificado.

É a primeira ressurreição! É a ressurreição dos justos! É a morte definitiva da morte! Bem aventurados os que têm parte na primeira ressurreição!

E então, irmãos e amigos, Deus enxugará de nossos olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. (Ap 21:4)

 

Seja glorificado Jesus! Acima de tudo e de todos!