Assembleia Geral Extraordinária

Assembleia Geral Extraordinária

Cerca de 600 pessoas participaram neste domingo (31/07) da Assembleia Geral Extraordinária, na IAP em Vila Medeiros (SP), que aprovou o Estatuto e o Regimento da IAP Local. Foi um grande passo na reforma administrativa, que visa adequar a IAP à legislação vigente e conferir agilidade em seus processos de decisão. Os presentes puderam esclarecer dúvidas e verificar as emendas que foram enviadas até 22 de julho e acatadas pela Comissão Administrativa. Todo o evento transcorreu de maneira genuinamente cristã, pacífica e organizadamente.

Em sua mensagem de abertura, com base em Daniel 3, o Pr. José Lima, presidente da Convenção Geral da IAP, destacou a importância de mantermos a fidelidade a Deus mesmo quando o assunto é o poder eclesiástico. “Deus é Deus e os homens que estão no poder são nada. Deus, que os levanta, é o mesmo que os abate”, alertou. Ele frisou que os três jovens – Sadraque, Mesaque e Abednego – estavam prontos a morrer, mas não a pecar. “O maior compromisso de todos nós não é com o poder, mas com aquele que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz”. Ao final, declarou que mesmo sendo este um período em que podem ocorrer “assédios”, tendo em vista as eleições de novembro, “devemos estar prontos para morrer, não para pecar”.

Ao final do evento, o Pr. Valdo Romão, diretor-fundador do Grupo Atlântico Contabilidade e Auditoria, que assessora a IAP em sua reforma administrativa, elogiou a maneira democrática como a igreja está conduzindo todo esse processo. “O movimento vivido pela IAP mostra sua maturidade e responsabilidade diante da sociedade”, analisou o Pr. Romão. Ele destacou também a importância da Bíblia nas ações e decisões da IAP. “Estatutos e regimentos não têm o poder de evitar fissuras de caráter, mas vejo que esta é uma igreja que depende sobretudo de Deus”.

O Pr. Hermes Brito, segundo presidente da Convenção Geral, explicou que o Estatuto e Regimento da IAP Local, uma vez aprovados pela Assembleia Geral Extraordinária, serão encaminhados para registro jurídico, para que se tornem “a certidão de nascimento” dessa nova instituição.

LEIA A ÍNTEGRA DO DEPOIMENTO DO Pr. VALDO ROMÃO

Primeiramente agradeço o convite para estar com os irmãos num momento histórico como este. Depois de aprovado todos os documentos como: Estatutos e Regimentos Internos da Convenção Geral, das Convenções Regionais e das Igrejas locais, posso agora expressar a minha gratidão a todos fazendo alguns considerandos, e o faço como segue:

1. Está diante da casa uma obra, que temos a certeza, é incompleta, apesar de toda a dedicação. Não é uma obra prima. Com todo o esforço feito é uma obra ainda inacabada;

2. Fui testemunha da seriedade, em todos os momentos, da comissão administrativa, nomeada para dar norte a esse trabalho;

3. Também fui testemunha do trabalho feito com toda a transparência, desde as discussões dos diferentes temas tratados, passando pela elaboração dos textos até a aprovação deles;

4. Registro com alegria, o momento que vive a Igreja Adventista da Promessa. Ela da mostra da sua maturidade e responsabilidade legal, diante de um cenário adverso que se vê em tantos outros segmentos chamados evangélicos;

5. Parabenizo o Presidente Pr. José Lima, pela sua liderança, pelo seu compromisso com os princípios biblicos e pude ver isso já no conteudo da sua mensagem no início dos trabalhos desta assembléia;

6. Penso que todos tem compreensão que serão necessários ajustes em tudo que foi feito e aprovado. a prática mostrará isso. Nem tudo é possível ser previsto na construção de leis. Estatutos e Regimentos, por mais completos que possam se apresentar, não têm o poder de evitar as fissuras de caráter dos seres humanos. As melhores leis humanas têm falhado e por isso mesmo não conseguem cumprir suas funções.

Assim ficamos dependentes em obedecer incondicionalmente ao nosso Deus. Obedecendo as seus preceitos presentes na lei maior que são as Escrituras Sagradas. Glorificaremos a Deus.

Pr. Dr. Valdo Romão

%d blogueiros gostam disto: