Capelania Prisional cresce na Convenção Paulistana

O Projeto de Capelania Prisional desenvolvido pela IAP do Parque São Paulo, Parque Residencial Cocaia, Recanto Campo Belo, Jardim Zilda e Capão Redondo é um programa de evangelização de menores infratores recolhidos para cumprimento de medida socioeducativa na Fundação Casa – Unidade Jd. São Luís.

O primeiro contato da IAP do Parque São Paulo com a atividade de Capelania Prisional foi em 2013, quando foi convidada pelo Departamento de Capelania da Junta de Missões da IAP para promover um culto especial desenvolvido na unidade no Bairro do Brás.
Tendo sido profundamente impactada pelo poder do Espírito Santo, a equipe começou a se preparar para se envolver mais com a atividade de Capelania Prisional.

Em 2014, com o início dos trabalhos da IAP em uma nova unidade da Fundação Casa, no Jd. São Luís, a IAP do Parque São Paulo foi convidada a manter um culto dominical a cada mês, levando uma equipe de cerca de 20 pessoas em cada culto. A equipe é composta por voluntários de todos os departamentos da IAP do Parque São Paulo, desde Umap, Sofap, Diaconia etc.

Os cultos são compostos de louvores de fácil assimilação, com mensagens que anunciam a salvação em Cristo Jesus; sermão reflexivo voltado ao arrependimento; concessão de oportunidade para o aceite público do Senhorio de Cristo; orações intercessoras e aconselhamentos particulares.
Com a evolução do Projeto, a IAP do Parque São Paulo, juntamente com outros líderes e irmãos das igrejas do 3º Distrito da Região Paulistana (IAP do Pq. Res. Cocaia, Recanto Campo Belo e Jardim Zilda), além dos irmãos da IAP em Capão Redondo, foi iniciado também um grupo de estudos bíblicos que acontece quinzenalmente, às quintas-feiras. Nessa atividade, a exposição do evangelho acontece de forma mais aprofundada e dinâmica, com o uso de materiais didáticos.

Quando os menores são recolocados em liberdade, o acompanhamento deles é colocado a cargo da IAP mais próxima de sua residência.
Sempre que um novo grupo de uma nova IAP se dispõe a ingressar nos cultos dominicais, uma parte da equipe da IAP do Parque São Paulo é destacada para acompanhar esse grupo na realização dos primeiros trabalhos. Exemplo disso tem sido a IAP do Recanto Campo Belo e a IAP do Jd. Zilda.
Sabemos que o tema “capelania prisional” é cercado de barreiras sociais e culturais, no entanto, percebe-se que esta dificuldade ocorre devido à falta de uma clara visão do que é o evangelho de Cristo, e pouca compreensão da ação sobrenatural do Espírito Santo no convencimento do ser humano, quanto ao pecado, da justiça e do juízo.

Quando os jovens são devolvidos ao seu convívio social, se não houver o comprometimento da igreja mais próxima, todo o trabalho anterior poderá ter sido em vão.

Em nome da Junta de Missões, agradecemos a todas as equipes de trabalho da Fundação Casa São Luiz, em especial aos coordenadores Regionais das Unidades.

Solange Oliveira, Coordenadora Geral de Assistência Religiosa em Presídios,
Alberto Ferreira, colaborador da equipe IAP Parque São Paulo e Ítalo Brito, secretário da Junta de Missões.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: