Artigos Demi

O perfil de quem é sempre politicamente correto, mas implode as estruturas da igreja

E logo, aproximando-se de Jesus, disse: Eu te saúdo, Rabi; e beijou-o.” (Mt 26.49)

Um dos episódios mais intrigantes da Bíblia, com certeza, foi a traição de Jesus por Judas. As palavras foram bonitas, “Eu te saúdo, Rabi”. E o gesto, um dos mais nobres: “e beijou-o”. No entanto, por trás destas palavras e gesto aparentemente íntimo, havia uma negociação de trintas moedas de prata. E o beijo era um sinal de identificação para a prisão de Cristo. Judas era uma pessoa que queria sempre se dar bem. João 12.6 nos informa que ele sempre furtava o que se colocava na bolsa, por que era o tesoureiro do grupo. O dinheiro era um ídolo no coração de Judas, um dos mais antigos negociadores de propina.
Qual pastor não tem ou teve um Judas em seu Ministério? Gente que revela o conteúdo de uma reunião estratégica da Igreja, que sabota constantemente o plano de ação local, que insinua sutilmente as limitações, que fala mal do Pastor e de sua família, que liga para um superior para que seja transferido, que atua nas impossibilidades, que gosta de trazer uma palavra de autoridade na ausência. É como o Judas da história: furtivo, malicioso, superficial, sem escrúpulos, inconsequente, maligno, preferindo sempre posições ao invés de pessoas. Mas atenção, sempre politicamente correto. Ele não explode, mas implode as estruturas da igreja. Tudo isso, para ficar bem, para se sentir superior, para ser melhor.
Salomão advertiu: “Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos.” Pv 27.6. Zacarias, a respeito de Cristo profetizou: “E se alguém lhe disser: Que feridas são estas nas tuas mãos? Dirá ele: São feridas com que fui ferido em casa dos meus amigos.” Zc 13.6. Paulo confessou: “…em perigos entre os falsos irmãos”- 2 Co 11.26. Assim, uma bajulação desnecessária, uma falsa humildade, uma proposta indecente ou uma armação suspeita pode ser o beijo de um Judas. Paulo orienta seu Filho Espiritual que há pessoas que “Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.” 2Tm 3.5.
Conseguiu identificar o Judas? E o que fazer com ele? Promover uma ação disciplinar? Medir forças administrativas? Tratá-lo com ódio? Expulsá-lo da Igreja? A vontade é essa, entretanto, a resposta é não!!! Alguém com o perfil de Judas é esperto e não deixa provas.
A recomendação é: siga os passos de Jesus. Lave os pés dele. Dê o bocado especial, fazendo-o convidado de honra – Jo 13.26. Após um beijo falso, trate-o de amigo – Mt 26.50.Lembre-se: o joio não pode ser arrancado antes da colheita – Mt 13.29, e que atitudes bondosas produzem brasas na cabeça do inimigo, sendo este o melhor revide – Rm 12.20. Ore por ele e o ame, essa é a sua obrigação. Deixe o Senhor cuidar, pois no tempo certo acertará contas com esse Judas. Vai haver remorso ou arrependimento? Vida ou morte? Isto não lhe pertence.

Pr. Elias Alves Ferreira é responsável pela IAP em Jales (SP) e integra a equipe do Departamento Ministerial – Convenção Geral

26/05/2017

O beijo de Judas

O perfil de quem é sempre politicamente correto, mas implode as estruturas da igreja “E logo, aproximando-se de Jesus, disse: Eu te saúdo, Rabi; e beijou-o.” […]
04/05/2017

Oração, oração e oração

O soldado cristão não pode vencer sem essa prática “Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com […]
27/04/2017

A espada do Espírito

A única peça da armadura usada para duas finalidades: defesa e ataque “… e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus.” – Ef6.18 […]
20/04/2017

Os filhos do quarto

Ainda há tempo para nós, pais, os resgatarmos Antes perdíamos filhos nos rios, nos matos, nos mares, hoje temos perdido eles dentro do quarto! Quando brincavam […]