Cristãos carpideiros

Chorar com os que choram não é chorar porque os outros choram!

Na época dos apóstolos, era comum uma família que tinha um ente querido morto contratar as carpideiras para chorar em seu velório.

Isso mesmo! Carpideira era uma profissão!

Contratavam-se mulheres que chorariam por toda a cerimônia fúnebre.

Esses profissionais não tinham qualquer laço com a pessoa falecida ou mesmo com a família. Podemos dizer que não sentiam a mesma dor que a família estava sentindo por tamanha perda.

No Brasil, no entanto, não temos esta profissão de carpideira, mas há relatos das carpideiras voluntárias. Não recebiam nenhum valor para chorar nos enterros e mesmo assim, voluntariamente, choravam a perda de alguém!

A Bíblia, em Romanos 12.15, diz que devemos nos alegrar com os que se alegram e chorar com os que choram.

O choro aqui relatado é o de profunda tristeza por alguém que tem para nós profundo valor.

Choramos porque conseguimos entender a dor daquele que está chorando.  Porque entendemos as lágrimas e compreendemos a revolta e os “porquês”.

O fato é que existem cristãos no nosso tempo que são verdadeiros cristãos “carpideiros”. Permitam-me assim colocar!

Eles lamentam os lamentos das outras pessoas, apenas por que elas estão lamentando!

Reclamam apenas por que os demais estão reclamando!

Revoltam-se apenas por que existem os revoltados.

Choram por que os outros estão chorando!

Não procuram saber os “porquês” e o contexto dos fatos!

Esses cristãos “carpideiros” normalmente não se alegram com os que estão alegres na igreja!

Não exultam de alegria com aqueles que estão exultantes com o dono da igreja, que é Cristo!

Não louvam com os que estão louvando ou não oram com os que estão orando!

Chorar com os que choram não é chorar porque os outros choram!

 

Edgar Simão é obreiro voluntário em Itatiba (SP).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: