Curas, livramento e emprego

Curas, livramento e emprego

Muitos milagres Deus operou em minha casa

 

No ano de 1980, eu estava grávida de uma menina, e o desenvolvimento da criança acontecia normalmente. Mas num certo período da gravidez, comecei a sentir dores fortes, e para minha surpresa tive um aborto espontâneo. E após os exames médicos, foi constatado que a criança estava morta havia três dias no meu ventre. Os próprios médicos disseram que foi um grande milagre. Eu creio que foi um livramento de Deus, por que eu correria riscos de morte, com a permanência dessa criança morta dentro do meu ventre.

 

Cura dos filhos

Meus filhos Sérgio e Agnaldo, quando eram crianças, sofriam constantemente de amigdalite, a ponto de o médico sugerir uma intervenção cirúrgica, para solucionar o problema. Ao receber o comunicado médico, fiquei aflita e fiz um ao voto ao Senhor, pedindo que Ele curasse meus filhos deste mal, para que eles não precisassem passar pela cirurgia. Deus na sua infinita misericórdia atendeu minha oração e curou meus filhos. Apesar de passar tanto tempo, estou cumprindo meu voto de testemunhar essa benção.

 

A benção do trabalho

Meu esposo Pedro, estava desempregado, mesmo enviando currículos para as empresas a procura de uma recolocação de trabalho; não tinha êxito. Ele não tinha aceitado a fé em Cristo ainda, e por isso, numa visão na madrugada o Senhor me instruiu para que eu orasse para ele, ser empregado numa empresa que não trabalhasse no sábado. Seguindo a orientação de Deus, comecei a orar neste propósito, e fui atendida. Dou graças a Deus por essa benção.

 

No vale da sombra da morte

Em 1985, fiquei grávida da minha filha Deborah, foi uma gravidez de risco. Por isso orava constantemente ao Senhor, para que o parto acontecesse tranquilamente. Em uma noite, Deus me avisou que eu iria passar pelo vale da sombra da morte, mas não morreria; e fez uma promessa a mim, que eu veria os filhos dos meus filhos.

Quando foi aplicada a anestesia raquidiana, eu perdi os sentidos e fui recobrar a consciência depois de 24 horas após o parto. Na sala de cirurgia foi uma correria para salvar minha filha e minha vida, porque eu estava morrendo (os próprios médicos me deram essa informação).

O que aconteceu comigo foi notícia em todo o hospital, e os médicos disseram que foi um milagre da parte de Deus, em especial, um médico disse que Deus de fato existia e que ele passaria a crer em Deus. E as promessas de Deus estão acontecendo, sou avó de dois netos e uma neta. Glória ao Senhor por suas misericórdias!

Noemia de Souza Stelato – IAP Sumaré/Nova Veneza – Convenção Paulista

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.