Deus está morto? (I)

A maneira como vivemos demonstra o quanto cremos nele

Algumas pessoas acreditam que sim, mas nós sabemos que Deus está vivo!

Mas, na verdade, pode ser que pra muitos de nós Jesus está morto, enterrado e jamais ressuscitou. Porque o evangelho não é sobre o que falamos. O evangelho é sobre o que vivemos. E por muitas vezes nossos atos gritam: “Deus está morto.”

Acredito que muitas vezes somos cristãos nominais, mas ateus factuais. Dizemos: “se Deus quiser” ou “se for da vontade de Deus”, mas ignoramos os claros alertas que Deus nos dá. Dizemos: “eu agradeço a Deus por essa conquista”, mas agimos como se tudo dependesse de nós. Muitas vezes dizemos que “está tudo nas mãos de Deus”, mas agimos como quem tem certeza que essas mãos estão recolhidas.

Existem duas atitudes que evidenciam que Deus está morto: a apatia e a ansiedade. Quero te convidar a refletir sobre o que as suas atitudes revelam sobre você e sobre a sua fé.

Suas atitudes declaram que seu Deus está vivo ou morto?

Deus está morto quando nos deixamos abater pelo desânimo

“Uma andorinha só não faz verão” ou “sou uma gota no oceano”. Quando as pessoas usam essa expressão, normalmente vem acompanhada da frase: eu desisti.
A ideia que acompanha essas expressões é a de solidão e é exatamente isso que produz em nós o sentimento de apatia.

Foi assim que Elias se sentiu em 1 Reis 19:8-18. Ele se sentiu sozinho, sentiu que o esforço dele não valia a pena, pois achava que ninguém mais estava fazendo o mesmo que ele.

Normalmente nos tornamos desanimados quando sentimos que estamos sozinhos no barco. Elias tinha acabado de obter uma vitória expressiva, era sem dúvidas um homem de Deus, mas ele desanimou. Entrou para a caverna, mergulhou em sua escuridão, a fim de aguardar melancolicamente o que lhe sucederia: o seu fim pelas mãos de Jezabel.

Quantas vezes não imitamos, Elias? Quantas vezes não entramos em nosso quarto, apagamos as luzes, fechamos as cortinas e aguardamos passivamente o que irá nos acontecer.

Não tenho dúvidas que situações difíceis acontecem e acontecerão na vida de todos nós, mas será que nós precisamos nos abater a ponto de mergulhar em meio às trevas de nossa tristeza e mágoa?!

Elias desanimou porque pensou que estava sozinho, que era o único remanescente. Quando Elias se deixou abater tão profundamente Deus fez questão de ir ter com ele e quando ouviu de Elias que seu desânimo era porque ele era o único temente a Deus a resposta do Senhor foi enfática: “ainda tenho 7 mil pessoas que não se dobraram perante outros deuses.”

Então, não se deixe vencer pelo desânimo, você não está só!

 

Aline Gomes congrega na IAP Industrial – Convenção Mineira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.