Deus faz do estéril pai de filhos…

Deus faz do estéril pai de filhos…

“Por isso não desfalecemos. Ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior contudo se renova de dia em dia, pois a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação.” (II Cor. 4: 16-17)

Welington Natanael Rocha

Vivo porque Jesus tem feito um milagre em mim a cada dia. Em novembro de 2006, fui acometido de câncer no testículo direito, com apenas 24 anos de idade, casado havia apenas um ano e sem filhos. Já estávamos vivendo lutas em nossa vida financeira, pois eu e minha esposa, Edilaine, estávamos desempregados. Mas naquele mês conhecemos um casal especial, os irmãos Josuel e Marília, da IAP em Vila Medeiros (SP), que nos acolheram de forma especial e me auxiliaram a conseguir um emprego.

Tudo parecia estar caminhando melhor mas, na terceira semana em que eu estava no trabalho, senti uma dor muito forte em minhas costas e comecei a queimar de febre. A dor era tão intensa, que não conseguia me mexer, então clamei a Deus, pois estava só e distante de minha casa. Quando finalmente consegui chegar, minha família imediatamente me levou para o Hospital de Osasco (SP), onde permaneci por alguns dias. Fui submetido a muitos exames, mas não havia um diagnóstico, enquanto a dor aumentava a cada dia. Chegaram a cogitar a possibilidade de realizarem uma cirurgia exploradora, pela presença de uma massa abdominal de quatro centímetros, mas Deus interveio e uma médica descartou essa hipótese, encaminhando-me para a Santa Casa, na capital paulistana.

O tumor crescia absurdamente e, de quatro centímetros, pulou para sete centímetros. Para piorar, o hospital entrou em greve! Eu tinha muita dor, preocupação e tristeza, passava noites e dias no pronto-socorro, ingerindo medicação que me fazia perder o controle sobre meu corpo. Eu buscava ao Senhor intensamente. Uma certa noite, eu me recusei a voltar para o hospital, pois já sabia o que me esperava. Depois que oramos, eu e minha esposa, ela dormiu rapidamente, o que não acontecia, pois ela ficava cuidando de mim até que eu conseguisse descansar. Naquela noite, Jesus me visitou! O quarto se encheu de glória, com uma luz muito forte e eu O glorificava. Senti duas fortes mãos que me levantaram do colchão, a ponto de que eu pude passar as mãos por debaixo das minhas costas e sentir que estava flutuando! Fui tomado por uma alegria intensa, só conseguia adorar ao Senhor, até que senti as duas mãos me colocarem novamente sobre o colchão. Para a glória de Deus, daquele momento em diante a dor cessou, meu coração foi consolado e eu soube que Deus estava no controle de todas as coisas.

Após uma decisão familiar, fomos procurar ajuda no Hospital Unicamp (Campinas – SP). Aos olhos humanos, era impossível conseguir tratamento ali sem encaminhamento de outro hospital. Entramos pelo pronto-socorro, era um processo burocrático dificílimo, havia muitas pessoas nas filas de espera por meses ou anos, mas eu me lembrava sempre da fidelidade de Deus. Por um milagre dele, em 11 dias, eu passei por duas consultas e fui submetido à cirurgia. Eu ainda tinha todo o tratamento pela frente, quando soube que não poderia ser pai biológico pois, além da doença e da quimioterapia que teria de fazer, meu testículo esquerdo era estéril.

Segundo os médicos me disseram, para os pacientes normais, a quimioterapia reduz para 25% as chances de fertilidade, sendo assim, no meu caso, não haveria a menor possibilidade. Novamente, uma angústia nos sobreveio, como a Bíblia registra em II Coríntios 4, mas Cristo nos confortava a cada instante, colocando as pessoas certas em nosso caminho, para nos consolarem e animarem.

Passei por oito meses de tratamento, recebi 54 doses de quimioterapia, mas o nosso Deus maravilhoso me sustentou todos os dias: não emagreci, não senti nenhum efeito colateral e, ainda que no exterior eu demonstrasse a doença, sem nenhum pelo no corpo, o meu interior se alegrava na presença do Senhor. Muitos não entendiam a força que eu tinha para estar na casa de Deus, semana após semana, mas o seu louvor enchia meus lábios e permanecia sempre em minha boca.

Quando terminou o tratamento, ainda restava um tumor de três centímetros, eles não esperavam por isso. Enquanto os médicos estavam definindo se eu passaria por uma nova cirurgia ou enfrentaria novas sessões de quimioterapia, nós clamamos a Deus e nesse tempo, Ele me curou milagrosamente, sem interferência de médicos ou remédios. Além disso, dez meses após a constatação da cura, em dezembro de 2007 o Senhor prometeu que nos daria filhos, para sua glória e louvor. Hoje, meu filho Guilherme está com cinco meses de vida, é lindo, saudável e a alegria de nossa casa.

Amo meu Senhor pelas muitas vitórias em minha vida. Agradeço a todo o povo de Deus que intercedeu por mim. Minha família toda foi muito importante, em especial meus sogros, Pr. Jovenal Rodrigues e Dsa. Zilda. Peço que Deus abençoe a todos poderosamente. E não posso deixar de agradecer a Deus por minha amada esposa, Edilaine, companheira de todas as horas, e por meu querido filho. Vale a pena confiar em Deus e esperar em suas promessas!

Ir. Welington Natanael Rocha é membro da IAP em Vila Esperança – Jundiaí (SP).

%d blogueiros gostam disto: