Dicas da lição 10 – “Estamos em guerra”

Estamos em guerra

  • Clique AQUI para acessar os slides da lição.
  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.

 

Dicas

  • Dinâmica: Para o item 2 “Nossos oponentes na guerra”, distribua folhas de sulfite e canetas, pedindo que os alunos dividam a folha em três partes, escrita “mundo, a carne e o diabo”. Peça que escrevam o que acham de cada um. Primeiro o “mundo” e em seguida explique o que a Bíblia diz. Em seguida faça isso com os outros itens. A ideia é mostrar aquilo que a Bíblia diz e a lição expõe, e o que os alunos sabem sobre o assunto (ou sabiam antes de estudarem a lição).
  • Vídeo: Para a aplicação da lição mostre para classe o vídeo “Existe uma guerra espiritual pela sua alma (como vencê-la). Nela, é explicada como o ser humano vence a batalha contra o pecado. Acesse o vídeo neste link: https://www.youtube.com/watch?v=S9i4J4kdLsU.
  • Desafio da semana: Mande para seus alunos e alunas pelo WhatsApp, redes sociais ou exiba em sala, o infográfico com o desafio da semana desta lição.

 

Comentários Adicionais

  1. Nossa natureza mascarada:
    “Nossa natureza caída, pecaminosa, caracteriza-se pela sutileza e hipocrisia. Todos temos uma tremenda dificuldade de enxergar nossa carnalidade. Vivemos atrás de máscara que nos esconde de nós mesmos. Impedimos que o espelho de Deus revele o que somos (cf. Tg 1.23s).” (SHEDD, Russel. O mundo, a carne e o diabo. São Paulo: Vida Nova, 1995, p.52).
  2. Santidade do Espírito:
    “O mesmo Espírito que esteve presente na criação e fez com que você nascesse de novo, está agindo para capacitar o íntimo de seu ser (ou seja, sua vontade ou coração) para que você possa resistir aos pecados que não conseguia resistir anteriormente e para fazer coisas boas que, de outra sorte, seriam impossíveis para você.” (DEYOUNG, Kevin. Brecha em nossa santidade. Tradução de Eros Pasquini Júnior. São José dos Campos: Fiel, 2003, pp. 116-117).
  3. Obediência grata:
    “Em virtude das misericórdias de Deus de Romanos 1-11 (p. ex. justificação, adoção, predestinação, expiação, reconciliação, preservação, glorificação), nossa grata resposta deve ser a obediência aos imperativos dos capítulos 12 a 16. Conforme afirma John Stott, ‘não é por acaso que no Grego um e o mesmo substantivo (charis) substitui tanto ‘graça’ como ‘gratidão’.” (Ibidem, pp.118-119).
  4. Parceria:
    “(…) chegamos a uma parte da aplicação da redenção que é uma obra progressiva, que continua por toda nossa vida na terra. Também é uma obra na qual Deus e o homem cooperam, cada um desempenhando papéis distintos. (…) santificação é uma obra progressiva da parte de Deus e do homem que nos torna cada vez mais livres do pecado e semelhantes a Cristo em nossa vida presente.” (GRUDEM, Wayne. Teologia Sistemática. Tradução de Norio Yamakami; Lucy Yamakami; Luiz A. T. Sayão. São Paulo: Vida Nova, 1999, p.622).
  5. Santos em ascensão:
    “Paulo diz que por toda vida cristã ‘todos nós […] somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem’ (2Co 3.18). Gradualmente nos tornamos cada vez mais semelhantes a Cristo, conforme avançamos na vida cristã. A expectativa de todos os autores do Novo Testamento é que nossa santificação aumente no curso de nossa vida cristã.” (Ibidem, p.624).