Dicas da lição 11 – “Algemado pelo Evangelho”

Dicas da lição 11 – “Algemado pelo Evangelho”

Algemado pelo Evangelho

  • Clique AQUI para acessar os slides da lição.
  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.

Dicas

  • Resumo: Como esta lição 11 destaca 6 capítulos de Atos, você poderá distribuir entre seus alunos (as) durante a semana estes capítulos: 21 a 26, e peça que façam um breve resumo de cada capítulo e levem na aula de sábado. Você poderá pedir individualmente, duplas, trios ou dividir a classe em dois grupos.
  • Vídeo: Exiba no item 1, que fala sobre a prisão do apóstolo Paulo, o vídeo intitulado “Missionária vive a dura realidade da Igreja Sofredora”, nos traduz atualmente como o sofrimento acompanha o testemunho da igreja cristã. Acesse aqui: https://www.youtube.com/watch?v=-Oyl6kjybZE
  • Painel de notícias: Para o item 2, “A defesa de Paulo”, distribua entre seus alunos (as) os seguintes textos bíblicos: At 23:12-15; At 24:22-27; At 25:8-11; At 26:1-23. Contrastando com as acusações e defesas feitas a Paulo. Peça que seus alunos destaquem alguns noticiários que mostraram alguns casos e prisões de líderes evangélicos. Quais as diferenças para com as prisões de Paulo? Destaque a seus alunos (as) que há gente sofrendo de verdade por Cristo.

 

Comentários Adicionais

1. O incompreendido:
“‘Será que é mesmo tão horrível ser incompreendido?’, perguntou Ralph Waldo Emerson. ‘Pitágoras, Sócrates foram incompreendidos, como também Jesus, Lutero, Copérnico, Galileu e Newton… Ser grande é ser incompreendido.’ Emerson poderia ter acrescentado que o apóstolo Paulo foi incompreendido tanto por seus amigos quanto por seus inimigos.” (WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico expositivo: Novo Testamento, vol. 2. Tradução: Susana E. klassen. Santo André, SP: Geográfica, 2006, p.634).

2. Auto sacrifício:
“Assim como os cristãos de Tiro, os cristãos de Cesaréia imploraram a Paulo que não fosse a Jerusalém. Sem dúvida, homens escolhidos pelas igrejas poderiam entregar a oferta a Tiago e os presbíteros de Jerusalém, de modo que não era necessário Paulo ir pessoalmente. Mas Paulo calou-os, dizendo que estava pronto não apenas a ser preso, mas, se necessário, a morrer pelo nome do Senhor Jesus Cristo.” (Ibidem, p.635).

3. Direitos garantidos:
“Quando Félix foi substituído por Pórcio Festo, os judeus mais uma vez apresentaram o seu caso contra Paulo. Durante este julgamento, diante do novo governador Festo, Paulo, usando seus direitos de cidadão romano, pediu uma audiência diante de César, o que lhe foi prometido. Esta decisão legal frustrou a ação final dos inimigos judeus de Paulo.” (Comentário do Novo Testamento: Aplicação Pessoal. Tradução: Degmar Ribas. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, Vol. 1, p. 737).

4. Inocente:
“Festo e Agripa discutiram o caso, e concordaram que Paulo era inocente. O rei Agripa, um simpatizante dos judeus e muito versado em assuntos judaicos, acrescentou a sua justificação legal ao movimento cristão. Isto seria muito confortador e de grande utilidade para os crentes por todo o império, que estavam sofrendo pressões crescentes daqueles que queriam perseguir o movimento cristão alegando que ele era antijudeu e anti-romano.” (Ibidem, p.743).

5. Fim de sessão:
“A sessão chegou ao fim, e o grupo na plataforma retirou-se. Lucas continua a ressaltar Agripa como sendo a figura principal como sendo a figura principal da reunião. Os que estavam assentados com eles podia significar um conselho de assessores do juiz (21:12), mas o termo provavelmente não se emprega no seu sentido técnico aqui.” (MARSHALL, I. Howard. Atos: introdução e comentário. Tradução de Gordon Chown. São Paulo: Vida Nova e Mundo Cristão, 1982, p.372).

%d blogueiros gostam disto: