Dicas da lição 11 – SIMPLESMENTE IGREJA – “Uma comunidade solidária”

Dicas da lição 11 – SIMPLESMENTE IGREJA – “Uma comunidade solidária”

1) Slides: Acesse o link: http://portaliap.org/simplesmente-igreja-slides/, faça o dowload dos slides e utilize-os para enriquecer ainda mais a sua aula.

2) Comentários adicionais: Utilize também os comentários adicionais referentes à lição no link: : http://portaliap.org/wp-content/uploads/2015/08/312-2015-Jul-Set_Comentarios-Adicionais-1.pdf >

 

– Sugestão de Apêndice: Em um Artigo interessantíssimo sobre a “Solidariedade feminina” para com os acamados e enfermos, o Dr. Drauzio Varella, Faz reveladoras pesquisas e insights sobre o sentimento e a atitude de ajudar os enfermos e hospitalizados. Com certeza esse texto poderá contribuir para uma visão mais prática a respeito do assunto, contextualizando-o para o tema “Uma Comunidade Solidária” (Baixar Artigo).

– No primeiro Parágrafo da introdução, o Professor da classe poderá utilizar-se do vídeo: “Dar é a melhor comunicação”; aplicando a nossa realidade social onde as pessoas que precisam de ajuda geralmente estão mais próximas de nós do que podermos imaginar; um ato simples de solidariedade pode mudar uma vida! Segue o link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=aPjZ4YSPnrM

 

No tópico n° 2 (“A prática da Solidariedade”) Algumas dicas sobre a prática de ajudar os outros descritas em um artigo por D. Martyn Lloyd-Jones, podem cooperar com suas colocações:

Solidariedade
Aprenda com Cristo a ajudar as pessoas em espírito correto e motivos puros

Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo nAquele que é a cabeça, Cristo. Efésios 4:15, NVI.

Os cristãos devem ter o desejo de ajudar as pessoas, mas essa “ajuda” deve proceder de motivos puros e espírito correto. Todo desejo de criticar, toda exultação pelo mal alheio e toda disposição de criticar devem ser banidos. Devemos sempre lembrar-nos de que não existe pecado mais grave do que o de ter um espírito condenatório.

Bem, você deve estar se perguntando, como podemos prestar ajuda a alguém, de forma que seja uma ajuda real?

 

Na primeira, ele pede para lermos diariamente I Coríntios 13 (o grande capítulo do amor).

Por que não fazer isso agora? Pense por um momento: que conselho específico desse capítulo você poderia aplicar à sua vida hoje?
Na segunda sugestão, procure lembrar-se das afirmações que você fez a respeito dos outros.

 

Sente-se, analise essas declarações e pergunte a si mesmo o que elas realmente significam. No passado eu achava essa providência muito dolorosa. Ao tratar com outro colega, eu fizera afirmações que, no espírito e no conteúdo, nem de longe eram cristãs. Isso não significa que a pessoa em questão não tivesse algumas faltas clamorosas, mas quando sentei e elaborei minha tática, passei a reconhecer que toda a minha abordagem contradizia o próprio evangelho que eu pensava estar defendendo.

Isso é assustador. Existem traves em cada canto de nossa vida.

A terceira sugestão é a seguinte: Lembre-se de que retirar algo do olho de alguém é uma operação delicada.

Nenhum órgão do corpo é mais sensível do que o olho. Ao tratar do olho, precisamos usar simpatia, paciência, calma e cálculo. Essas qualidades precisam ser transferidas para o domínio espiritual ao lidarmos com as outras pessoas. Conforme disse Paulo, precisamos aprender a falar a verdade em amor. Realmente sou grato às pessoas que me abordaram dessa maneira quando tiveram de me confrontar. Esse sentimento contrasta com o despertado por aqueles que se aproximaram de mim como o proverbial touro numa loja de porcelana.
Agradeço-Te hoje, ó Senhor, pelos espíritos gentis. Que o meu possa aumentar.

Dinâmica: Enxergando as cargas uns dos outros;

Objetivos: Através dessa dinâmica podemos se tornar mais consciente das necessidades emocionais, psíquicas ou físicas uns dos outros e solidar-se em suas lutas.

Material: Papel e Lápis

Desenvolvimento:

– Na pergunta de n° 5 e no tópico respectivo (“Sejamos uma Igreja solidária: Enxerguemos os que sofrem!”) O professor da classe entrega o papel e caneta para cada participante e pede para escrever uma dificuldade ou necessidade que a própria pessoa sente (um medo, um problema financeiro, problema de privação ou enfermidade, algo que lhe incomoda) que não gostaria de expor oralmente. A Papeleta deve ser dobrada e colocada numa caixa onde será bem misturada.

– Depois de bem misturadas as papeletas, cada pessoa pega uma qualquer dentro da caixa e assume o problema que está na papeleta como se fosse seu, esforçando-se por compreendê-lo.

– Cada pessoa, por sua vez, lerá em voz alta o problema que estiver na papeleta, usando a 1° pessoa “eu”, fazendo as adaptações necessárias, dirá a sua soluça para o problema apresentado.

Discussão: Após este exercício, compartilhar e conversar sobre a importância de levarmos de sermos solidários uns para com os outros, de ajudarmos o nosso próximo, e de percebermos que, ouvir as sugestões e visões dos outros sobre o nosso problema pode nos ajudar a encontrar uma saída. Gl. 6:2: “Levem os fardos pesados uns dos outros, e assim cumprirão a lei de Cristo”

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: