Dicas da Lição 13 – “A perceptível presença de Deus”

Dicas da Lição 13 – “A perceptível presença de Deus”

A perceptível presença de Deus

  • Clique AQUI para acessar os slides da lição.
  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.

 

Dicas

  • Dinâmica Para introduzir a lição, fale para seus alunos e alunas, lerem a lição e diante do texto que embasa o estudo, Atos 4.23-31, façam vídeos curtos, relatando sinais que já viram na comunidade local e em igrejas sérias, que a semelhança do que acontecia na igreja primitiva, mostram que Deus está presente e a igreja sensível. Você pode exibi-los durante a introdução durante a aula na classe. Se não tiver Datashow, compartilhe no WhatsApp dos alunos e alunas de sua turma, e peça pra assistirem na aula ou antes dela.
  • Vídeo: Para o item 2 “A oração”, exiba o vídeo, “Poder da Oração (Avivamento na Bíblia e na História) – Russell Shedd”, deste link: https://www.youtube.com/watch?v=DNLA844pRqw, que trata de mostrar a importância da oração no avivamento.

 

Comentários Adicionais

  1. A oração poderosa:
    “A igreja é o povo que busca a Deus em oração nas horas de dificuldades. A oração é a arma de guerra. Quando nos curvamos diante de Deus, levantamo-nos diante dos homens. Quando colocamos nossos olhos em Deus, perdemos o medo da ameaça dos homens.” (LOPES, Hernandes Dias. 2Coríntios: o triunfo de um homem de Deus diante das dificuldades. São Paulo: Hagnos, 2008, p.103).
  2. Resposta à oração:
    “Em resposta a oração sincera e unânime: 1) tremeu o lugar e, segundo comentou Crisóstomo, ‘aquilo os tornou inabaláveis’; 2) todos ficaram cheios do Espírito Santo; e 3) em resposta ao seu pedido específico (v.29) [At 4], anunciaram a palavra de Deus, com intrepidez (v.31).” (STOTT, John R. W. A mensagem de Atos: até os confins da terra. Tradução de Markus André Hediger e Lucy Yamakami. São Paulo: ABU, 1994, p.110).
  3. Aprovação divina:
    “Por semelhante modo, Deus demonstrou sua aprovação divina aos apóstolos fazendo tremer a casa onde se encontravam, e aparentemente usou um terremoto para conseguir esse efeito. Deus deu um sinal aos apóstolos de que assim como sacudiu a casa com um terremoto, assim também faria o mundo tremer com o evangelho de Cristo.” (Kistemaker, Simon. Comentário do Novo Testamento: Atos. Tradução: Ézia Mullins e Neuza Batista da Silva. São Paulo: Cultura Cristã, 2006, pp.232).
  4. Pregadores corajosos:
    “A expressão com intrepidez se torna significativa e descreve adequadamente o falar dos apóstolos e seus ajudantes. Eles são proclamadores ‘da palavra de Deus’, que no contexto de Atos é sinônimo do evangelho de Jesus Cristo. Lucas fornece um lampejo dessa intrepidez quando escreve em passagem subsequente: ‘E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e pregar as boas-novas de que Jesus é o Cristo.” (Idem).
  5. Poder para pregar:
    “Não pediram proteção, pediram poder. Não pediram fogo do céu para destruir os inimigos (ver Lc 9:51-56), pediram poder do céu para pregar a Palavra e curar os enfermos (ver Mt 5:10-12, 43-48). Seu grande desejo era ousadia diante da oposição (ver At 4.17). A ênfase é sobre a mão de Deus operando na vida da Igreja (At 4:28, 30), não sobre a mão humana trabalhando para Deus.” (WIERSBE, Warren. W. Comentário bíblico expositivo: Novo Testamento. Vol. 1. Tradução: Susana E. Klassen. Santo André: Geográfica editora, 2006, p.542).