Dicas da lição 13 – “O reino e o dinheiro”

Dicas da lição 13 – “O reino e o dinheiro”

O reino e o dinheiro

  • Clique AQUI para acessar os slides da lição.
  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.

Dicas

  1. Projetos de Missões: A IAP desenvolve por meio da Junta de Missões e dos departamentos regionais de Missões, veja (quadro abaixo) alguns custos dos projetos, e faça uma simulação de quanto poderiam doar. Explique para sua classe que seria bom se fizessem as doações. Faça essa dinâmica no item 1 “Proclamação do reino de Deus”. Incentive sua classe a fazer ofertas para às Missões promessistas.
  2. Dinâmica: Sobre o dinheiro e as nossas prioridades: No tópico 1, a Proclamação do reino de Deus, podemos usar essa dinâmica para questionar se as prioridades de nossa vida estão no lugar correto.
    Materiais: Dois baldes médio, pedras grandes, pedras médias, pedras pequenas (o suficiente para encher o balde), areia e algumas bolas médias (pode ser de qualquer qualidade ou espécie), o suficiente pra encher o balde.
    – Com a classe toda reunida, coloque o balde no centro e argumente: “O balde é a nossa vida, vamos colocar algumas das coisas mais importantes dentro”. Podemos assim colocar as bolas ou objetos maiores primeiro e observar que eles se acomodam bem, após as pedras menores e ainda completar com a areia por último e perceber que tudo coube.
    – Da mesma forma ou com outro balde você pode fazer o processo novamente, mas colocando a areia primeiro, as pedras ou objetos menores depois, e finalmente as pedras maiores. Poderemos constatar que as pedras ou objetos maiores não cabem dessa vez. Porque?Considerações possíveis:
    – No primeiro caso pudemos perceber que o balde ou a vida foi usada de maneira apropriada, investindo em prioridades corretas. Os valores e a Proclamação do Reino foram colocados primeiro (As pedras ou objetos maiores), como consequência os bens e dinheiro dessa pessoa, (Objetos ou pedras menores) vieram depois, e foram colocados a favor do primeiro, empregando parte no Reino, na proclamação do Evangelho. Finalmente as coisas menos importantes virão por último nesse caso (Areia). Os investimentos feitos também são importantes, mas só cabem na vida da pessoa se forem colocados dessa forma, senão….
    – Entramos no segundo exemplo, pois, como as coisas menos importantes (Areia) foram colocadas em primeiro lugar, às outras coisas (pedras ou objetos maiores ou menores) não terá lugar na vida dessa pessoa (O balde do segundo exemplo), ou seja, tudo vira bagunça, o dinheiro é idolatrado, a avareza é exponencial, os valores do Reino viram mera Religiosidade e o investimento na proclamação do Evangelho não existe ou é quase nula.
  3. Vídeo: Para o item 2, “Manifestação do reino de Deus”, mostre para sua classe o vídeo “John Piper – Seja Sal e Luz”. Ele mostra que ser “sal e luz” representa ser “sacrifício”. Em seguida, pergunte a classe o que temos de fazer para sermos esse “sacrifício”? Assista ao vídeo neste link: https://www.youtube.com/watch?v=9IiiUGFl2RA.

Comentários Adicionais

  1. Ofertantes da missão:
    “Como todos os ministérios da igreja precisam de dinheiro, nós todos precisamos uns dos outros, e consequentemente nossos relacionamentos vão-se estreitando. Dessa maneira, a obra de Deus recebe o sustento de que precisa; os crentes que se encontram no trabalho secular ampliam sua visão espiritual, e passam a enxergar o mundo como Deus o vê.” (CUNNINGHAM, Loren; ROGERS, Janice. Fé e finanças no reino de Deus. Tradução de Myrian Talitha Lins. Belo Horizonte: Betânia, 1993, p.88).
  2. Boas obras e evangelização:
    “Quando os homens veem as boas obras da igreja, eles glorificaram a Deus (Mt 5.16). Quando a igreja compartilha as necessidades dos santos, as portas se abrem para o testemunho do evangelho. O apóstolo em obras, em ajuda ao necessitado (1Jo 3.17,18). João Batista disse que o verdadeiro arrependimento é repartir comida com quem tem fome e vestes com quem está nu (Lc 3.11). Na igreja primitiva, as pessoas tinham tudo em comum (At 2.44; 4.32). O apóstolo Paulo nunca separou a pregação do evangelho da assistência social.” (LOPES, Hernandes Dias. Mensagens Selecionadas 2. São Paulo: Hagnos, 2009, p.154).
  3. O sal dos cidadãos do Reino:
    “O sal era tão valioso na época do Novo Testamento que os soldados romanos frequentemente recebiam os seus salários em sal. Ele era usado como condimento, como conservante, como fertilizante e até mesmo como remédio. Aqui Jesus fala do sal mineral, que se deteriorava sob calor forte e do qual os minerais eram perdidos com a unidade.” (RICHARDS, Lawrence. Comentário histórico-cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008, p.25).
  4. A luz dos cidadãos do Reino:
    “As cidades antigas eram construídas com calcário branco, e desta forma reluziam com a luz do sol. Lâmpadas eram mantidas acesas nas casas durante toda noite, dispostas em lugares altos. As duas imagens nos lembram de que a ‘luz’ não deve ficar escondida. Cristo deixa clara sua analogia. Os atos justos dos cidadãos são as luzes que fazem o reino visível a todos.” (Idem).
  5. A graça de contribuir ao Reino:
    “A contribuição é um favor que Deus nos faz, e não um favor que nós lhe fazemos. Os macedônios, mesmo sofrendo aflições e estando marcados pela pobreza, pediram a graça de participarem da assistência aos santos, ou seja, a graça de contribuírem (…).” (LOPES. Hernandes Dias. O melhor de Deus para sua vida. Vol. 3. Belo Horizonte: Betânia, 2005, p.77).