Dicas da lição 3 – “Lamente seus pecados”

Dicas da lição 3 – “Lamente seus pecados”

Lamente seus pecados

  • Clique AQUI para acessar os slides da lição.
  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.

Dicas

I. ESTUDE PELO WHATSAPP: Se ainda não houver, junto a coordenação da Escola Bíblica, crie um grupo no WhatsApp e encaminhe para seus alunos a lição em áudio no começo da semana. Acesse podcasts e baixe o áudio dessa semana em http://portaliap.org/wp-content/uploads/2015/12/LB314_03.mp3.

II. PARA APROFUNDAR: Além de estudar a lição e os comentários adicionais, leia eenvie, durante a semana, para 4 alunos (pelo WhatsApp ou outro meio) os textos abaixo, para durante a aula de sábado, lerem ou responderem as respectivas perguntas.

  • Item ou Pergunta 1. Devemos chorar pelo pecado porque ele é um ato de hostilidade e inimizade contra Deus – O pecado ofende e resiste o Espírito Santo (At 7:51). O pecado é contrário à natureza de Deus. Deus é santo e o pecado é uma coisa imunda. O pecado é contrário à vontade de Deus. A palavra hebraica para pecado significa rebelião. O pecado luta contra Deus (At 5:39).
  • Item ou Pergunta2. Devemos chorar pelo pecado porque ele é um ato de consumada ingratidão contra Deus – Deus enviou-nos seu Filho para redimir-nos do pecado e seu Espírito para confortar-nos. Nós pecamos contra o sangue de Cristo, a graça do Espírito e não deveríamos chorar? O pecado contra o amor de Deus é pior do que o pecado dos demônios, porque a eles jamais foi oferecido a graça. Mas nós caímos e nos foi oferecida graça e ainda pecamos contra ela? Pecamos contra aquele que morreu por nós? Pecamos contra aquele que habita em nós?
  • Item ou Pergunta 3. Devemos chorar pelo pecado, não por medo de suas consequências – Quando Caim matou seu irmão Abel, Deus o confrontou. Ele, então disse, “é tamanho o meu castigo, que já não posso suportá-lo” (Gn4:13). Seu castigo afligiu-o mais do que o seu pecado. Chorar apenas pelo medo do castigo, apenas pelo medo do inferno é como o ladrão que chora porque foi apanhado e não pela sua ofensa. As lágrimas do ímpio são forçadas pelo fogo da aflição e não do arrependimento.
  • Item ou Pergunta 4. Devemos chorar pelo pecado porque ele nos priva das coisas excelentes – O pecado nos priva do maior bem, a comunhão com Deus (Is 59:2). Quando pecamos não apenas a paz vai embora, mas Deus também vai embora. Não há comunhão entre trevas e luz. Quando choramos pelo pecado, ansiamos não apenas a volta das bênçãos, mas a volta de Deus (Ex 33). Devemos não apenas chorar, mas voltar-nos para Deus com choro (Jl2:12). As lágrimas do arrependimento são como as águas do Jordão, elas nos purificam da nossa lepra. Devemos chorar não apenas para nos abster do pecado, mas para odiar o pecado.

Texto extraído e adaptado: http://hernandesdiaslopes.com.br/2012/12/o-choro-que-desagua-em-alegria-eterna/#.VpQ79hUrLDd (Se desejar, para maior aprofundamento pessoal, estude o texto na integra, acessando o link acima).

III. VÍDEO: Para a segunda parte do estudo, nas aplicações (II. VOCÊ PRECISA SABER), utilize o vídeo do Pr. Leandro Lima falando sobre o texto básico da lição, “O Verdadeiro Crente Sofre Pelo Seu Pecado”. Acesse e baixe no link: https://www.youtube.com/watch?v=-vmanNn4rnA.

 

Comentários adicionais

  1. Jesus chorou, por quê?:
    “Jesus chorou ainda no jardim do Getsêmani. ‘Durante os seus dias de vida na terra, ele ofereceu orações e súplicas, em alta voz e com lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, sendo ouvido por causa da sua reverente submissão (Hb 5.7 NVI)’. Suas lágrimas foram vertidas porque ele levava sobre si o fardo dos pecados da humanidade e porque previa a agonia da cruz. Realmente chorou por causa dos nossos pecados.” (SHEDD, Russell P. A felicidade segundo Jesus: reflexões sobre as bem-aventuranças. Tradução: Gordon Chownl. São Paulo: Vida Nova, 1998, p. 30).
  2. Lamentos ilícitos:
    “Alguns negam seus próprios pecados, como fizeram os fariseus, e vivem uma vida de ilusão, tentando fazer com que todos pensem que são perfeitos. Outros admitem seu fracasso espiritual e depois tentem mudá-lo por si mesmos, dizendo: ‘Vou me esforçar. Vou arregaçar as mangas e me tornar uma pessoa melhor!’ Rearmamento moral. Outros admitem seu pecado e depois se desesperam tanto que acabam se enforcando como Judas”. (MACARTHUR, John. O caminho da felicidade. Tradução: Lúcia Kerr. São Paulo: Cultura Cristã, 2001, p. 72).
  3. O consolador em ação:
    “‘Serão consolados’. Quem irá consolá-los? Paraclatos, que originou Paracleto, aquele que é chamado para ajudar, o Consolador. A Bíblia está repleta de referências a Deus como um consolador (Sl 30.5, 50.15; Is 55.6,7; Mq 7.18-20). Ele nos ajuda, nos socorre, ouve o nosso pranto, atende nossas necessidades. O consolador está sempre presente, suplicando, admoestando, consolando, compadecendo-se, encorajando, fortalecendo, perdoando e restaurando.” (MACARTHUR, John. O caminho da felicidade. Tradução: Lúcia Kerr. São Paulo: Cultura Cristã, 2001, p. 75).
  4. A tristeza segundo Deus:
    “…felizes são aqueles que lamentam a causa do seu pecado e manifestam pesar pelas suas próprias imperfeições. O pecado é para eles verdadeira tortura. Quando se lembram dele, choram; o pecado é para eles carga mui pesada, e dificilmente o suportam.” (LOPES, Hernandes Dias. A felicidade ao seu alcance: uma exposição das bem-aventuranças. São Paulo: Hagnos, 2008, p. 34).
  5. A presunção enganosa:
    “Muitos não choram pelo pecado agora, porque estão falsamente confiando na misericórdia de Deus no dia do juízo. (…) Muitos pensam que Deus se esqueceu do juízo e perguntam: ‘Onde está o Deus do juízo?’ (2Pe 3.9). Ah! Dia do juízo! Deus julgará suas palavras, suas obras, sua omissão e seus pensamentos! Você vai querer fugir da ira de Deus! Você já pensou na possibilidade de Deus dizer para você: Basta! Chega!?” (Ibidem, p. 41)
%d blogueiros gostam disto: