Dicas da Lição 4 – “A autoridade do Filho do Homem”

Dicas da Lição 4 – “A autoridade do Filho do Homem”

A autoridade do Filho do Homem

  • Clique AQUI para acessar os slides da lição.
  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.

 

Dicas

MURAL: Recorte fotos de várias personalidades da história recente, pessoas influentes que exerceram autoridade em um determinado espaço e organize em um mural. É importante que os exemplos sejam de pessoas que fizeram isso de forma positiva e de pessoas que exerceram a autoridade de forma negativa. Após isso, peça aos alunos para eles avaliarem a autoridade exercida pelas pessoas exibidas no mural. (Escolha pessoas conhecidas da área política, religiosa, dos esportes, da música, das forças armadas, etc.)

QUADRO COMPARATIVO: Qual a diferença entre Autoridade e Autoritarismo? Peça aos alunos para estabelecerem a diferença entre os dois conceitos. Para isso, é necessário que o professor exiba em um quadro (duas colunas) a diferença entre as duas palavras. Assim, a classe poderá desfazer alguns enganos acerca do assunto. Nesse ponto, também se pode relacionar a diferença da autoridade de Jesus e a autoridade dos Fariseus, suas origens e implicações. (Tópico 1 da Lição)

Da discussão acima, é necessário deixar claro que entender a Origem da Autoridade de Cristo, deverá nos aproximar dele, tendo a confiança no seu amor por nós!

 

Comentários adicionais

Item da lição: “A fonte da autoridade de Jesus”

1. O jovem Jesus:
“Quando vivia em Nazaré, talvez o modesto carpinteiro tenha sido para eles um jovem amável, mas insignificante. Por isso provavelmente admiravam-se algumas vezes com o fato de que lá fora se desse tanta importância a esse Jesus.” (Rienecker, Fritz. Evangelho de Lucas: comentário Esperança. Tradução: Werner Fuchs. Curitiba: Esperança, 2005, p.119).

2. Jesus lendo:
“[Jesus] leu de Isaías 61:1-2, seguido por 58:6. As palavras profetizam o ministério do Messias às pessoas aflitas: os pobres, os cativos, os cegos, os oprimidos. A aplicação que Jesus fez das palavras a Ele mesmo mostra que o senso de vocação que veio com a voz celestial no Seu batismo permaneceu forte (para unção do Espírito, cf. At 10:38). Jesus Se via chegando com boas novas para as pessoas perturbadas deste mundo. O ano aceitável do Senhor não representa, naturalmente, qualquer ano civil, mas, sim, é um modo de fazer referencia à era da salvação.” (MORRIS, Leon L. O Evangelho de Lucas. Tradução de Gordon Chown. São Paulo: Vida Nova e Mundo Cristão, 1983, pp.101-102).

Item da lição: “A demonstração da autoridade de Jesus”

3. Autoridade de Jesus:
“[Expulsar demônios, Lc 4:36-37] O povo ficou admirado com esta palavra e passou a comentar a autoridade e poder com os quais Jesus ordenava aos espíritos. O tempo dos verbos dá a entender que Ele fazia assim habitualmente. Não estão comentando este único milagre. Não era estranho que sua fama se espalhasse por toda circunvizinhança. Jesus estava Se tornando uma figura pública.” (Ibidem, p.105).

4. Homem curador:
“A notícia desses dois milagres – a expulsão de um demônio ([Lc 4] vs. 31-37) e a cura de Simão (vs. 38, 39) – se espalhou tão rapidamente que o povo dificilmente podia esperar que terminasse o sábado. Ao pôr-do-sol eles já traziam seus enfermos a Jesus. Podemos crer que muitos dos que os traziam estavam cheios de genuína compaixão por seus entes queridos e esperavam fervorosamente que fossem curados.” (Hendrinksen, Willian. Comentário do Novo Testamento: Lucas. São Paulo: Cultura Cristã, 2003, vol. 1, p.364).

5. Homem surpreendente:
“[Após a pesca maravilhosa] Instantaneamente, com a impressão produzida pelo assombroso milagre, Simão Pedro soube em seu coração que seu ‘Mestre’ era ao mesmo tempo seu ‘Senhor’, verdadeiramente digno de culto e adoração. Em contraste com este ‘Senhor’, Pedro era nada menos que um ‘homem pecador’.” (Ibidem, p.384).

%d blogueiros gostam disto: