Dicas da Lição 4 – Acima de todo poder

ACIMA DE TODO PODER

Devoção: Professor lembre-se de dedicar uma parte do tempo para investir em sua vida devocional. É imprescindível que você ore a Deus, leia e estude a Bíblia Sagrada e interceda por seus alunos. Não se esqueça de pedir ao Espírito Santo para transformar a vida de cada um de sua classe também nos momentos em que a lição estiver sendo ministrada.

Slides: Acesse o link AQUI, faça o download dos slides e utilize-os para enriquecer ainda mais o estudo da lição.

Comentários adicionais: Nesta lição 4, temos os seguintes comentários:

  1. O trono de Deus: “Como em Isaías 6, Deus está no centro da cena. (…) (thonos, trono) é uma das ênfases principais do livro, contrapondo o “trono de Deus” ao “trono” de Satanás ([Ap] 12.5 contra 13.2; cf. 2.13; 16.10) e, provavelmente nesse capítulo, com o trono de César também. O termo ocorre treze vezes somente nesse breve capítulo. Originalmente designado como uma cadeira para convidados especiais, o ‘trono’ se tornou um símbolo da majestade soberana do rei. Ele significada tanto governo como julgamento (…).” (OSBORNE, Grant R. Apocalipse: comentário exegético. Tradução de Robinson Malkomes e Tiago Abdalla T. Neto. São Paulo: Vida Nova, p.251).
  2. Os seres viventes: “(…) ‘seres viventes’ como estes foram vistos pelo profeta Ezequiel durante a primeira e extraordinária visão que teve (Ez 1). Embora as seis asas de cada ser vivente lembrassem muito a visão que Isaías teve dos serafins (Is 6), a maior parte da visão de João corresponde aos seres vistos por Ezequiel, os quais ele chama de querubins (Ez 10:20). Os querubins da Bíblia estão muito longe de ser os anjinhos de asas e covinhas, dos quadros que conhecemos. São criaturas que impões respeito, indicações visíveis da presença de Deus.” (WILCOOK, Michael. A mensagem de Apocalipse. Tradução: Alexandros Meimaridis et all. São Paulo: ABU Editora, 2003, pp.41-42).
  3. A importância da morte de Cristo: “A vitória final de Cristo como Leão de Judá – O Messias conquistador – só é possível porque antes ele sofreu como Cordeiro. Aqui nos deparamos como um grande mistério, algo que o Novo Testamento afirma mas não explica, porque envolve realidades inexprimíveis em palavras no ponto em que o mundo espiritual de Deus corta o mundo histórico do homem. A dignidade e capacidade de Cristo de abrir os selos do rolo da história e destino da humanidade dependem da vitória que ele obteve em sua vida encarnada. Se ele não tivesse vindo em humildade, como Salvador sofredor, não poderia vir como Messias conquistador.” (LADD, George Eldon. Apocalipse: introdução e comentário. Tradução de Hans Udo Fuchs. São Paulo: Vida Nova e Mundo Cristão, 1980, p.67).
  4. Os sete chifres e os sete olhos de Cristo: “Os sete chifres representam a plenitude de poder que o Cordeiro possui. No Antigo Testamento o chifre é símbolo comum de força, aparecendo pela primeira vez em Dt 33:17, e frequentemente nos Salmos (Sl 18:2; 112:9). Jesus, depois de ressuscitar, afirmou: ‘Toda autoridade me foi dada no céu e na terra’ (Mt 28:18). O Cordeiro também tem sete olhos; isto indica sua onisciência, que ele pode ver tudo. Pano de fundo para isto é Zc 4:10, onde as sete lâmpadas na visão do profeta ‘são os sete olhos do Cordeiro; eles são identificados também como os sete espíritos de Deus enviados por toda a terra. Assim João retrata de maneira simbólica o relacionamento entre Cristo e o Espírito Santo com Deus-Pai.” (Ibidem, p.67).

Na introdução da Lição: apresente para seus alunos 1 controle de Televisão ou de outro aparelho eletrônico. Caso não queira levar, você pode optar por projetar a imagem de um controle. Ao mostrar aos seus alunos pergunte-os: o que é isso e para que serve? Aguarde as respostas, que provavelmente vão girar em torno de ligar e desligar o aparelho, procurar ou mudar de canal, aumentar e diminuir o volume, etc. Após isso reflita com eles sobre quem está no controle mundial? Quem comanda a história da humanidade? Quem de fato tem todo poder?

Mostre-os que Deus está acima de todo poder e tem o controle em suas mãos. Enquanto fala peça para alguém ler o salmo 24:1 que diz: “Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam.”

Atenção: Tome cuidado para não gastar muito tempo na introdução (5 minutos é mais que suficiente), pois a lição desta semana exigirá mais tempo de estudo.

Na segunda parte da lição (O texto bíblico aplicado) antes de fazer a 5º pergunta chame duas pessoas para encenarem a dinâmica do teste de confiança.

Uma pessoa representará a humanidade e a outra representará Deus.

A pessoa que estará representando a humanidade ficará de costas e depois cairá para trás enquanto a pessoa que representa Deus a segurará nos braços. Após isso pergunte para a pessoa que representa a humanidade falar como ela se sentiu ao ter que confiar que Deus fosse segurá-la. A intenção é mostrar que vivemos em um mundo de insegurança e medo, crises econômicas, catástrofes naturais e desordem sociais, porem em Deus a igreja pode descansar porque Ele está acima de todo poder!

Boa aula!

%d blogueiros gostam disto: