Dicas da Lição 5 – “Muito além das fronteiras”

Dicas da Lição 5 – “Muito além das fronteiras”

Muito além das fronteiras

  • Clique AQUI para acessar os slides da lição.
  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.

 

Dicas

1. Exposição pelos alunos: A lição desta semana mostra o desenvolvimento da Igreja saindo de Jerusalém e indo “além das fronteiras”. Sua base é Atos 8:1-12:25. Distribua (para duplas ou trios, ou individualmente), durante a semana, os capítulos correspondentes aos 4 itens da lição que falarão sobre: Missão Samaria; Missão Damasco; Missão Cesareia; Missão Antioquia. Peça que façam um resumo do trecho correspondente a cada item (podem utilizar a maneira que quiserem para transmitir o conteúdo). Ao final de cada apresentação, professor (a), faça as devidas colocações e ponderações.

2. Desafio de pregar: Para os itens 2 e 3, cuja lição destaca a dificuldade da Igreja Primitiva em pregar para não-judeus, utilize a seguinte dinâmica de autoconhecimento para seus alunos (a).

  • Material: Pedaços de papel e caneta.
  • Aplicação: Peça que cada um faça uma lista, com os grupos culturais em que encontram dificuldade de pregar (estrangeiros, drogados e etc…). Após anotarem, faça uma breve oração com eles, e peça que rasguem a folha. Explique a eles: da mesma forma que rasgaram os papeis, seus preconceitos ou dificuldades de aproximação devem desaparecer, para que evangelizem essas pessoas. Incentive-os a conhecerem mais destes grupos, e orarem por eles, para pregar-lhes o evangelho.
    (Adaptado de: LUCADO, MAX. Faça a vida valer a pena. Tradução: Lilian Jenkino. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2010, p. 233-234).

3. Notícias de missões: Veja em alguns links da Junta de Missões da IAP, trabalhos nacionais e transculturais. Selecione algumas notícias e mostra aos seus alunos. Você pode fazer isso na parte aplicativa da lição.

4. Vídeo: Para o “desafio missionário” utilize o vídeo “Missões – O que é, como e por que eu devo fazer.” (até 2min e 26s), para ajudar a desafiar seus alunos (as) a obra de falar do evangelho. Acesse aqui: https://www.youtube.com/watch?v=NP9ZS0Zer8M

 

Comentários Adicionais

  1. Missão destravada: “Inicialmente a Igreja não foi obediente à ordem de anunciar a mensagem ‘a toda criatura’, praticamente permanecendo restrita à Palestina e a Jerusalém em particular. Deus usou a perseguição romana para espalhar seu povo. A Igreja teria de reconhecer que a mensagem era para todos, e não somente para o povo da antiga aliança.” (CAVALCANTI, Robinson. Cristianismo e política. Viçosa: Ultimato, 2002, pp.67-68).
  2. Dispersão significativa: “A dispersão dos cristãos levou ao mais significativo avanço na missão da igreja. Pode-se dizer que ficou sendo necessária a perseguição para leva-los a cumprir o mandamento implícito em [AT] 1.8. Na medida em que os cristãos avançam para novas áreas, descobriram que havia uma resposta imediata ao evangelho, conforme exemplifica a resposta dada pelo povo da Samaria.” (MARSHALL, I. Howard. Atos: introdução e comentário. Tradução de Gordon Chown. São Paulo: Vida Nova e Mundo Cristão, 1991, pp.147-148).
  3. Perseguir a Igreja é perseguir Jesus: “A visão do Salvador glorificado mudou inteiramente o rumo de sua vida. Naquele dia, Saulo se deu conta de que ao perseguir os discípulos de Jesus estava perseguindo o próprio Senhor. A dor infligida aos membros do Corpo era sentida pelo Cabeça do Corpo no céu.” (MCDONALD, William. Comentário bíblico popular: Novo Testamento. Tradução: Alfred Poland et al. São Paulo: Mundo Cristão, 2008, p.360).
  4. Deus vê diferente: “A pessoa grega olhava com o máximo desprezo para os ‘bárbaros.’ Para ele não eram realmente seres humanos. O judeu via no ‘mundo dos gentios’ tão somente trevas, incredulidade e sujeira. Porém Deus é diferente! ‘Quem o teme e pratica a justiça lhe é bem-vindo’ [tradução do autor].” (BOOR, Werner. Atos dos apóstolos. Tradução: Werner Fuchs. Curitiba: Esperança, 2003, p.162).
  5. Espírito para os que creem: “Esse Espírito Santo, porém, não é um ‘poder religioso’ qualquer que naturalmente pudesse sobrevir também aos gentios. Ele é o dom escatológico (At 2.16-18) que Deus havia prometido ao povo da aliança (At 2.39). E essa participação escatológica na própria vida de Deus é concedido incondicionalmente a gentios incircuncisos, até mesmo antes do batismo, por intermédio do ‘ouvir a fé’, como Paulo testemunha mais tarde aos Gálatas (Gl 3.2) e Efésios (Ef 1.13).” (Ibidem, p.164).
%d blogueiros gostam disto: