Dicas da Lição 8 – “A importância da generosidade”

Dicas da Lição 8 – “A importância da generosidade”

A importância da generosidade

  • Clique AQUI para acessar os slides da lição.
  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.

 

Dicas

  • Para falar sobre generosidade, comece indagando acerca dos significados e situações que a palavra pode ter. Para isto, deixe os alunos falarem e coloque as opiniões em um quadro.
  • Dinâmica dos bombons: Abra uma caixa de bombons de chocolates variados e peça para cada um escolher aquele que mais gosta. Depois que todos escolherem, você pode perguntar “Porque você escolheu este bombom?”. As respostas irão variar de acordo com as preferências de cada pessoa. Em seguida peça para que todos deem o seu bombom para a pessoa que está do lado direito. A partir disso, enfatize que a generosidade traz consigo a resignação, a preocupação com o outro, empatia…
    Resumo: “Aquilo que você deseja para você, queira também para o outro”
  • Para a discussão dos Tópicos, coloque a semelhança do contexto dos irmãos das igrejas da Macedônia com os nossos dias, em seguida, exiba o vídeo do link : https://youtu.be/YcXJe8mZrbQ
    e discuta as maiores dificuldades que nós temos quanto ao exemplo, ao estímulo, a maneira no que se refere à generosidade e os benefícios que teremos na atitude de praticá-la. Utilize os exemplos do vídeo para a discussão.
  • Quanto ao desafio da semana, se os alunos tiverem dificuldades em fazer o que foi proposto de forma individual, o professor pode pensar em atividades feitas em grupo, como por exemplo: doação de sangue; dividir itens para formar uma cesta básica e ver famílias da igreja que precisam; doação de roupas (pensando na dinâmica feita); e, principalmente, praticar a intercessão por aqueles que necessitam. Muitos são os que precisam, procuremos saber os pedidos de oração existentes na igreja. A intercessão é um bom início para desenvolvermos atitudes da generosidade que Deus quer ver em sua igreja.

 

Comentários Adicionais

  1. A generosidade no sofrimento:
    “Os crentes da Macedônia enfrentavam tribulação e pobreza. Eles eram perseguidos pelas pessoas e oprimidos pelas circunstâncias. Eles eram pressionados pela falta de quietude e pela falta de dinheiro. Essas duas situações adversas, entretanto, não os impediu de contribuírem com generosidade e alegria”. (LOPES, Hernandes Dias. 2Coríntios: o triunfo de um homem de Deus diante das dificuldades. São Paulo: Hagnos, 2008, p.188).
  2. A generosidade estimulante:
    “Paulo dá testemunho à igreja de Corinto sobre a graça da contribuição que Deus concedeu às igrejas da Macedônia (Filipos, Tessalônica e Beréia). Aqui o propósito do apóstolo é estimular a igreja de Corinto, que vivia numa região rica, a crescer também nessa graça, uma vez que a generosidade dos macedônios, que viviam numa região pobre, era uma expressão da graça de Deus em suas vidas”. (Ibidem, p.187).
  3. A generosidade posta à prova:
    “É interessante observar que Paulo usou o zelo dos coríntios para desafiar os macedônios, mas agora usava as igrejas da Macedônia para desafiar os coríntios! Um ano antes, os coríntios haviam se comprometido, com todo entusiasmo, a participar da oferta, mas até então não haviam tomado qualquer providência nesse sentido. As igrejas da Macedônia cumpriram sua promessa, e Paulo temia ter se gloriado dos coríntios em vão”. (WIERSBE, Warren. W. Comentário bíblico expositivo: Novo Testamento. Vol. 1. Tradução: Susana E. Klassen. Santo André: Geográfica editora, 2006, p.863).
  4. A generosidade submissa:
    “Quais seriam os motivos de agradecimento dos cristãos judeus? Sem dúvida, louvariam a Deus pela generosidade das igrejas gentias ao suprir suas necessidades físicas e materiais. Mas também louvariam a Deus pela submissão espiritual dos gentios, sua obediência ao Espírito de Deus que lhes deu o desejo de contribuir”. (Ibidem, p.867).
  5. A generosidade providente:
    “A igreja é uma família, e nessa família nenhuma pessoa deveria passar necessidade. O que Deus nos dá com abundância deve estar a serviço de Deus na assistência aos necessitados. Os recursos de Deus para suprir os necessitados estão em nossas mãos. Toda a provisão de Deus para o avanço do seu reino estão em nossas mãos. Somos mordomos de Deus, e não donos de seus recursos”. (LOPES, Hernandes Dias. 2Coríntios: o triunfo de um homem de Deus diante das dificuldades. São Paulo: Hagnos, 2008, p.213).
%d blogueiros gostam disto: