Dicas da lição 9 – “Sejamos luz para os povos”

Sejamos luz para os povos

  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.
  • Para baixar os slides desta lição, clique AQUI.

 

Dicas

Globo terrestre: Se puder encontrar, leve para a classe um globo terrestre e exiba-o durante toda a aula. No decorrer da exposição do item 1. As fronteiras, leve os alunos a refletirem sobre o tamanho do nosso desafio missionário, mostrando que nossas fronteiras se estendem até os confins da terra.

Vídeo: Durante o item 2. Os desafios, exiba o vídeo da Lista Mundial da Perseguição 2018 neste link: https://www.youtube.com/watch?v=rqBcHj3alwM. Ajude os alunos a se sensibilizarem com os desafios enfrentados por cristãos perseguidos pelo mundo. Se preferir, você pode apenas exibir a lista em imagem ou pdf neste link: https://www.portasabertas.org.br/artigo/downloads, e mostrar o vídeo O Brasil e Missões, que você pode encontrar aqui: https://www.youtube.com/watch?v=7z_aPwQfvSI

Momento de intercessão: Em pequenos recortes de papel, escreva motivos de oração por missões. Coloque diferentes motivos, mas escreva apenas um por papel. Distribua-os entre os alunos e conduza-os em um momento de oração. Vocês podem fazer isso ao responderem a pergunta 5, na primeira aplicação ou ao final do estudo. No item 2, você encontrará alguns desafios pelos quais podemos orar. Você também pode escrever nomes de países ou grupos étnicos. Lembre-se dos lugares em que temos irmãos promessistas. Acesse o site da nossa Junta de Missões: http://juntademissoes.com.br/ e conheça os projetos missionários da IAP.

Material de apoio 1: Use os comentários adicionais, disponíveis no espaço abaixo, para complementar a sua aula. Para ouvir o podcast desta lição, acesse: http://portaliap.org/wp-content/uploads/2018/05/LB324_09.mp3; Utilize os slides desta lição disponíveis em: http://portaliap.org/licoes-biblicas-324/

Material de apoio 2: A Junta de Missões sempre disponibiliza a Lição Bíblica em libras. Informe seus alunos sobre este importante trabalho. Veja: https://www.youtube.com/channel/UCSajxLcXf10Zmvnz3wv7qag

Comentários Adicionais

  1. Missão é a tarefa integral
    “Missão é a tarefa integral da igreja que é enviada ao mundo para testemunhar das boas novas. Como tal, missão é literalmente uma perspectiva de vida como um todo: a vida inteira do povo de Deus, tanto como uma comunidade reunida quanto como uma comunidade espalhada, que testemunha do senhorio de Jesus Cristo em todas as situações da vida humana. Missões é uma parte desse papel maior que a igreja desempenha na história de Deus. Sua tarefa é estabelecer um testemunho em lugares onde ele não existe. Em geral, missões é um empreendimento transcultural. Porém, missões não apenas uma parte essencial da missão da igreja; também é uma perspectiva final. A missão do povo de Deus de tornar conhecidas as boas-novas tem como sua perspectiva final os confins da terra”. (Goheen, Michael W. A igreja missional na Bíblia: luz para as nações. Tradução de Ingrid Neufeld de Lima. São Paulo: Vida Nova, 2014, p. 260).
  2. Engajamento em missões
    “À medida que a igreja assume sua tarefa de engajar-se em missões, haverá um efeito reflexivo. Quando a igreja desenvolve uma visão para missões e começa a se envolver em missões até os confins da terá, ela também se torna mais propensa a ser uma igreja missional no lugar onde está inserida. Missões tem o potencial de revitalizar a visão missional para o mundo inteiro, incluindo a própria vizinhança.” (Stetzer, Ed. Desvendando o código missional: tornando-se uma igreja missionária na comunidade. Tradução de A. G. Mendes. São Paulo: Vida Nova, 2018, p.261).
    “Sem a Bíblia, a evangelização do mundo seria não apenas impossível, mas também inconcebível. A Bíblia impõe-nos a responsabilidade de evangelizar o mundo, dá-nos um evangelho a proclamar, diz nos como fazê-lo e declara-se o poder de Deus para a salvação de cada crente. Além disso, é fato notável, na história passada e contemporânea, que o grau de compromisso da Igreja com a evangelização do mundo é proporcional ao grau de sua convicção da autoridade da Bíblia. Sempre que o cristão perde a confiança na Bíblia, seu zelo pela evangelização acaba se esvaindo. Inversamente, se ele estiver convencido acerca da Bíblia, estará também determinado a evangelizar”. (Perspectivas no movimento cristão mundial. Editado por Ralph D. Winter, Steven C. Hawthorne, Kevin D. Bradford; — São Paulo: Vida Nova, 2009, p.19).
  3. Evangelização mundial: nosso mandato
    “Nosso mandato para a evangelização do mundo, portanto, é a Bíblia inteira. Deve ser encontrado na criação de Deus, porque todos os seres humanos são responsáveis diante dele; no caráter de Deus, transcendente, amoroso, compassivo, não desejando que ninguém pereça, mas que todos venham ao arrependimento; nas promessas de Deus, que todas as nações sejam benditas por meio da semente de Abraão e venham a ser a herança do Messias; no Cristo de Deus, agora exaltado com autoridade universal, para receber aclamação universal; no Espírito de Deus, que convence do pecado, dá testemunho de Cristo e impele a Igreja a evangelizar; na Igreja de Deus, que é uma comunidade missionária multinacional, com ordens de evangelizar até que Cristo volte. A dimensão global da missão cristã é irresistível. O cristão individual e as igrejas locais que não se comprometem com a evangelização do mundo estão contradizendo, por cegueira ou por desobediência, uma parte essencial de sua identidade, a qual provém de Deus. O mandato bíblico para a evangelização do mundo não pode ser ignorado”. (Perspectivas no movimento cristão mundial. Editado por Ralph D. Winter, Steven C. Hawthorne, Kevin D. Bradford; — São Paulo: Vida Nova, 2009, p.20).
  4. A igreja e as missões
    “Uma igreja como a de Antioquia [descrita em Atos dos Apóstolos] é uma missão em sua própria localidade, que cresce por meio de expansão espontânea à medida que seu povo encarna e anuncia as boas novas. Uma igreja missional como a de Antioquia também tem em vista os confins da terra e, portanto, anseie participar da tarefa de levar o evangelho a lugares onde ele ainda não conhecido. […] Uma igreja missional de ocupa com ambos […] o evangelho é anunciado em cada local por meio da vida vibrante e radiante de uma igreja acompanhada do testemunho evangelístico espontâneo. No entanto, mais dessas igrejas precisam ser instituídas em lugares nos quais esse testemunho não está presente. O ‘modo de envio’ ou ‘missões’ será fundamental para toda igreja missional”. (Perspectivas no movimento cristão mundial. Editado por Ralph D. Winter, Steven C. Hawthorne, Kevin D. Bradford; — São Paulo: Vida Nova, 2009, p.183).