DICAS DE LIÇÃO 11 – VENTOS DE DOUTRINAS: “O HOMEM COMO CENTRO”

DICAS DE LIÇÃO 11 – VENTOS DE DOUTRINAS: “O HOMEM COMO CENTRO”

01. Devocional Diário: Não se esqueça de ler a Bíblia e de orar por seus alunos e pela Escola Bíblica diariamente, conseguindo, assim, autoridade espiritual, para facilitar a compreensão de todos.  Utilize a Leitura Diária.

 

02. Slides da lição: baixe neste link:

http://portaliap.org/slides-licao-ventos-de-doutrina/ os slides da lição servem para dinamizar sua aula.

 

03. Comentários adicionais: para um preparo e compreensão melhores do conteúdo da lição, acesse os comentários adicionais neste link:

http://portaliap.org/wp-content/uploads/2015/08/LB-309_Comentarios-Adicionais.pdf com os títulos: “1. Músicas para embalar”, “2. Resultados da pregação”, “3. Metáforas de uma vida passiva” e “4. Vitoriolatria”.

 

04. Antes de a Aula começar você pode combinar com algum voluntário de sua classe, (em secreto) que no início da aula Ele fique no centro da Sala ou da classe em que você participa. Ao começar a Aula seu Aluno já estará posicionado. Este será o momento de se referir a introdução e ao primeiro tópico: “Igrejas Antropocêntricas”. Enquanto é lido os textos ou comentado sobre ele, o Aluno voluntário deverá permanecer no meio da sala (é importante que este período não demore mais de 8 minutos, máximo). Quando chegarmos a 1° questão o voluntário se sentará e avaliaremos o modelo de Igreja antropocêntrica a partir do exemplo que tivemos de nosso voluntário: Ou seja, enquanto estamos tentando falar sobre o evangelho alguém estava no Centro, e com certeza muitos alunos se distraíram e prestaram atenção nele, no ser humano: É exatamente assim o funcionamento das Igrejas onde o homem é alvo da atenção e não o Evangelho de Jesus; Mesmo que se fale algo de Deus, a atenção sempre estará voltada para o homem.

 

05. Para o tópico, “músicas para embalar”, poderemos passar o vídeo do link a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=ADEobnBOmsI. Ele trata, de uma maneira bem humorada, o desejo da carne de tomar o lugar de Cristo nas músicas, quando cantamos músicas falando sobre Deus, mas que realmente não são verdade sobre o que acontece conosco em nosso dia-a-dia.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: