DICAS DE LIÇÃO 3 – NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO: “Romanos”

DICAS DE LIÇÃO 3 – NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO: “Romanos”

01. Baixe os slides: http://portaliap.org/slides-licao-nao-me-envergonho-do-evangelho/

02. Baixe os comentários adicionais:http://portaliap.org/wp-content/uploads/2015/07/308_2014_Jul_Set_Comentarios-Adicionais_B.pdf  >

Para esta lição temos os seguintes comentários: Somente pela fé; Justos sem obras; “Justificação” histórica; Fé justa; O “objeto” da fé.

03. Na introdução apresente este vídeo para explicar “A grande troca”, como disse Martinho Lutero. Um ato de amor, onde Cristo assume os nossos pecados, imputando-nos sua justiça e assim nos livrando da condenação do pecado: “Mark Driscoll – Justificação Simplificada”, acesse em: http://www.youtube.com/watch?v=HXwRk4hid3o .

04. Para explicar o que é justificação, podemos citar Martinho Lutero que diz: “a justiça concedida ao pecador não é sua própria, produzida por ele mesmo, mas uma justiça que vem de fora pertencente a Jesus Cristo. A justiça não é uma qualidade do homem. Ela consiste antes em ser justo somente através da imputação graciosa da justiça de Cristo, isto é, uma justiça ‘fora’ do homem. A fé tem um papel muito diferente, sendo ela preponderante na justificação. “A fé que justifica, contudo, não é um mero conhecimento histórico, mas uma aceitação firme da oferta de Deus de prometer o perdão dos pecados e a justificação.

05. Após explicar os 2 itens da lição (1. Declaração graciosa e 2. Sacrifício amoroso), apresente uma ilustração que faça alusão de uma maneira simples sobre o ato da justificação.

Ilustração: Imaginem um julgamento num grande tribunal, como aqueles em que vemos nos filmes. Frente a frente estão o juiz e o réu acusado. Aquele homem (réu), está sendo julgado por cometer crimes terríveis e indesculpáveis. Ao relatar o veredicto final, o juiz olha bem no fundo dos olhos do rapaz e lhe diz: – Você foi declarado inocente, pode ir embora! Sem entender nada, o homem fica sem reação, porém feliz com a sentença decretada pelo juiz. De repente, o juiz tira a toga (vestimenta que utiliza) e assume o lugar do réu que deveria ser declarado culpado e cumpre a pena que era para ser do rapaz declarado inocente.

Explicação: Isso se chama misericórdia. E qual seria a diferença entre misericórdia e graça? Misericórdia é quando Deus não nos dá aquilo que merecemos e Graça é quando Ele nos dá o que não merecemos. Esse é o nosso Grande e Misericordioso Deus!

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: