DICAS DE LIÇÃO 5 – NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO: “Os vivificados”

DICAS DE LIÇÃO 5 – NÃO ME ENVERGONHO DO EVANGELHO: “Os vivificados”

01. Baixe os slides: http://portaliap.org/slides-licao-nao-me-envergonho-do-evangelho/

02. Baixe os comentários adicionais:http://portaliap.org/wp-content/uploads/2015/07/308_2014_Jul_Set_Comentarios-Adicionais_B.pdf  > Para esta lição temos os seguintes comentários: Libertados de pecar; Cuidado com a “carne”; Pecado morto; Pecado vivo; Escravos, sim, da justiça!

03. Inicie a lição com um vídeo que resume o assunto da lição. O título do vídeo é: Escravo: Rendendo-se ao Senhorio de Cristo – Conferência Fiel Jovens 2014, e pode ser acessado no link:   http://www.youtube.com/watch?v=NHzHWakKRhk

04. Depois de ler o tópico “escravos de quem?”, peça para os seus alunos digam de um modo geral “pecados mais comuns” entre os cristãos, anote-os em um quadro ou em uma folha de papel, e em seguida peça que mostrem caminhos de como abandonar essas práticas. Mostre a ele que diante dos pecados, sempre em Cristo há uma saída.

05. No tópico dois, o professor pode pedir aos alunos que caracterizem um defunto, destacando  a diferença entre este e os vivos.  Após a fala dos alunos, o professor pode aproveitar as características do defunto e reportar-las aos pecados que perturbam o servos de Deus. Por exemplo, assim como o defunto deixa de conviver com as pessoas, o pecado não deve fazer parte do dia a dia do crente.

06.  No final do terceiro tópico, o professor pode apresentar uma peça teatral bem objetiva cujo teor segue abaixo:

  • A peça deve ser preparada e ensaiada antes da apresentação da lição. Três personagens deverão ser envolvidos, os quais representarão o (a)  escravo(a), o leiloeiro e homem rico. A peça apresenta a seguinte história: O leiloeiro  tentava vender o(a) escravo(a), porém a fragilidade física do escravo e  o alto preço solicitado dificultava a venda. Apesar disso o homem rico se apresenta disposto a comprar o(a) escravo(a). Concluída a compra, o homem rico diz ao (a) escravo(a): “Eu lhe comprei para lhe dá liberdade. A partir de agora eu lhe declaro livre”. Dita essa frase, o homem rico segue seu caminho. O (a) escravo (a) emocionado(a) corre ao encontro do homem rico e diz: “Nunca ninguém demonstrou tanto carinho por mim, por favor me permita servi-lo pelo resto da minha vida”. O homem rico respondeu: “ Mas já lhe tornei uma pessoa livre, você não tem obrigação de me servir”. Mesmo assim o (a) escravo (a) insistiu com a idéia dizendo: “Eu sei que sou livre, mas quero agradecer-he servindo voluntariamente.”

A seguir o professor pode fazer uma aplicação da peça com o tópico três, onde os crentes em Jesus são libertos do pecado, mas devem  se submeter voluntariamente ao senhorio de Cristo como forma de gratidão.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: