Do que você tem falta?

Amy Winehouse, Vera Fischer e a nutricionista que causou um atropelamento, dirigindo supostamente embriagada, têm histórias com algo em comum

Nos últimos dias tivemos notícias alarmantes. No sábado (23/07), a cantora Amy Winehouse foi encontrada morta na casa em que vivia no norte de Londres (Inglaterra). Uma garota de apenas 27 anos, cheia de talentos e oportunidades. Como poucas pessoas, ela conquistou a fama e a riqueza, mas era escrava de algo que a fez morrer: álcool e drogas. Por quê?

Vera Fisher, atriz de 59 anos, resolve procurar uma clínica de reabilitação, uma vez que também sofre, há anos, com a escravidão de álcool e drogas. Uma mulher que conquistou tanta fama e sucesso, mas que perdeu a guarda do seu filho por não ser um bom exemplo para a formação dele. Por quê?
Uma nutricionista de 28 anos, aparentando embriaguez e dirigindo um Land Roover blindado atropela um rapaz, que acabou falecendo. O carro tem 26 multas no DETRAN, 10 delas por excesso de velocidade. Sua preocupação era com sua segurança – usava carro blindado – é uma profissional da saúde, tem um namorado, pode comprar segurança para ela, mas não se preocupou com a segurança das outras pessoas. Por quê?

Assim como essas histórias, inúmeras outras acontecem em nosso dia-a-dia, notícias que não vão para a mídia, pois as pessoa são anônimas.

Fui a uma consulta médica e uma das secretárias começou a ler estas notícias. Uma outra, que estava ao lado, fez o seguinte comentário: “Como pode? Pessoas com tanto dinheiro, bonitas, famosas, tem de tudo na vida, o que falta para elas?”

Olhei para a moça e, certa de que precisava dar a resposta a ela, disse: “Deus! É isso que falta para estas pessoas.” Ela concordou comigo, mas tenho minhas dúvidas se ela realmente pensa em tudo que envolve esta resposta.

Não basta dizermos: “Ai, meu Deus”, “Deus te ajude”, “Deus te abençoe”, “Deus está comigo”. É preciso viver isso no mais profundo do nosso ser, sabendo que nosso compromisso é com o autor da vida. Somente ele pode preencher todas as lacunas da nossa vida.

Como cristãos, temos uma responsabilidade imensa. Muitas pessoas ao nosso lado precisam conhecer a Deus e, muitas vezes, por vivermos num mundo tão bem informado, temos a impressão de que todos o conhecem, mas a verdade é que a grande maioria anda sedenta, em busca de algo que lhes preencha,  vão buscar em locais mais diversos possíveis, menos onde deveriam, na fonte de água viva. Cabe a cada um nós mostrar esta fonte a todos com quem convivemos.

Dsa. Maria Regina Guimarães Longo Mendes congrega na IAP em Pq. Itália (Campinas – SP) e atua no Departamento Ministerial.