Fecham-se as cortinas

No balanço do ano, pense em como você atuou na obra de Cristo

Fiori Gigliotti, radialista e locutor esportivo, já falecido, celebrizou frases como:  “Abrem-se as cortinas e começa o espetáculo”.

Mais um ano de vivências e experiências boas e ruins deve ter nos ensinado algo positivo e construtivo para o Reino de Deus. O “espetáculo” da vida é fascinante, marcante e, ao mesmo tempo, impreciso, imparcial, às vezes injusto, pois a dinâmica da vida  não para. Cabe-nos hoje fazer um exame introspectivo das nossas ações e reações no que diz respeito ao evangelho, poder de Deus para todos os que creem.

Devemos pensar: “Fui um colaborador da causa de Cristo na igreja que congrego e exerço a função de adorador por excelênci, sendo fervoroso, presente, mediano, aplicado, presente, determinado, disciplinado? Devo confessar sinceramente: “Eu poderia ter feito melhor e diferente, mas fui preguiçoso, omisso ou indiferente, em dados momentos? Amei pouco o Senhor Jesus e sua obra? Fui dizimista fiel neste 12 meses? Ou indisciplinado nesta área? E na Escola Bíblica, com suas lições bíblicas relevantes que tivemos neste ano passado?  Estive presente em todas as ceias do Senhor? Nas convocações para o evangelismo, visitações e trabalhos missionários e de assistência social? Ouvi atentamente os sermões proferidos? Aprendi algo com eles?E os louvores que proferi? Estou vivendo aquilo que canto ou é só uma utopia?”

Todas essas perguntas só podemos responder internamente, com muita sinceridade diante de Deus, pela revelação da Palavra escrita, mediante o convencimento do Espírito Santo.

As cortinas ainda estão abertas. Em Deuteronômio 11:12, lemos: “Terra de que o Senhor teu Deus tem cuidado; os olhos do Senhor teu Deus estão sobre ela continuamente, desde o princípio até ao fim do ano.” Deus quer que corrijamos os nossos desatinos. Entendo, na minha divagação, que ele também aplaude os seus filhos e servos fieis, dizendo: “bom e fiel servo, sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei” (Mt 25:21).

Aplausos a você que amou exercer os cargos que lhe foram confiados e fez fez tudo o que era devido conforme suas forças e condições (às vezes, até precárias no que diz respeito à precisão que intentava fazer). Parabéns pela sua persistência, oração e jejum. Aplausos pelas pessoas que você evangelizou, aconselhou, ajudou, encaminhou ao aconselhamento pastoral. Aplausos aos cultos na casa dos necessitados e aos grupos de estudos bíblicos que conseguiu organizar. Por ter se preocupado com aquele(a) irmão que faltou, quando você o visitou e orou por ele.

“Fecham-se as cortinas, acaba-se o espetáculo”, dizia Fiori Gigliotti, no final  das suas transmissões. O jogo pode ter acabado, porém a vida, não. Continuaremos com Cristo no barco e a persistência em obedecê-lo em tudo é o que, de fato, valerá. Você quer isso? Está disposto a continuar sendo um discípulo eficaz e veraz? As cortinas do ano novo daqui a pouco se abrirão, e, mais um pouco, se fecharão também. Na abertura, no fechamento e em todos os momentos, o importante é Cristo em vós, a esperança de glória.

Ame a Causa de Cristo. A expectativa que temos é que teremos mais um ano vivenciado debaixo da sua graça e seu amor imensuráveis. “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” (Efésios 2:10).

Pr. Omar Figueiredo dos Santos é responsável pelas IAPs em Jardim Paineira e Itaquera, na Convenção Paulistana Leste.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: