Idolatria cristã

Somos muito esclarecidos sobre o que a Palavra de Deus diz em relação à adoração de imagens e o culto a outros deuses. Êxodo 20:3-6 e Salmo 115, entre outros textos, são bem claros e enfáticos em relação à idolatria. Mas será que nós, cristãos, não a praticamos de alguma forma? O que dizer dos fã-clubes evangélicos, em que artistas, cantores e até pastores arrastam milhares de fanáticos que dariam tudo por um minuto ao lado do seu “ídolo”. Num evento de que esses famosos da fé participam, os fãs entram num histerismo que beira a loucura: uns gritam sem parar; outros jogam objetos pessoais, invadem o palco e até desmaiam. Não seria isso idolatria?

Eu estava me lembrando daquela situação que ocorreu em 12 de outubro de 1995, com um pastor da igreja Universal do Reino de Deus, quando, querendo mostrar para os fieis de sua igreja que a idolatria era pecado e que o ídolo nada é no mundo, chutou a imagem daquela que é considerada pelos católicos como a padroeira do Brasil. Aquilo causou uma enorme repercussão no Brasil e no mundo.

Por que me lembrei disso? Não queremos entrar no mérito da questão, a atitude do pastor, até porque ele nega que tenha chutado, diz ter feito apenas um gesto parecido com chute. Eticamente, foi um problemão, pois mexeu e ofendeu a fé de milhares de pessoas em rede nacional. Agora, queremos refletir um pouco, depois de pincelarmos sobre o comportamento estranho de muitas pessoas diante de um “ídolo gospel”, sobre o que acontece, dentro de muitas igrejas evangélicas, com relação aos seus templos. Alguns idolatram o templo; proíbem as crianças até de chorar dentro deles; alguns objetos são intocáveis; algumas pessoas que trabalham na limpeza de alguns temlos chegam ao cúmulo de utilizar um rodo ou vassoura de cabo bem longo, pois receberam ordens expressas para não subirem no espaço que chamamos de púlpito. Não ousam tirar algo do lugar, um banco, uma mesa ou uma cadeira, por exemplo. Tratam essas coisas como santíssimas. Isso é muito preocupante.

Em certa ocasião, em uma igreja local, percebi quando um líder se levantou do seu lugar. Para ir onde desejava, precisava passar pela lateral do púlpito. Ele, discretamente, deu uma leve parada e se inclinou na direção deste. Esse ato me causou um susto e uma enorme preocupação. Fui conversar com ele sobre isso, ao que ele me respondeu que havia sido ensinado que aquele lugar era diferente; era necessário ter mais reverência. Na mente dele, a maior prova de reverência era parar em frente do púlpito e se inclinar, antes de passar para o lugar a que desejava ir. Não seria isso idolatria?

Claro que devemos ter cuidado com os utensílios da casa do Senhor, mas  não vamos exagerar, pois “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há é o Senhor do céu e da terra, e não habita em santuários feitos por mãos humanas. Ele não é servido por mãos de homens, como se necessitasse de algo, porque ele mesmo dá a todos a vida, o fôlego e as demais coisas. De um só fez ele todos os povos, para que povoassem toda a terra, tendo determinado os tempos anteriormente estabelecidos e os lugares exatos em que deveriam habitar. Deus fez isso para que os homens o buscassem e talvez, tateando, pudessem encontrá-lo, embora não esteja longe de cada um de nós. ‘Pois nele vivemos, nos movemos e existimos’, como disseram alguns dos poetas de vocês: ‘Também somos descendência dele’. Assim, visto que somos descendência de Deus, não devemos pensar que a Divindade é semelhante a uma escultura de ouro, prata ou pedra, feita pela arte e imaginação do homem. No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam. Pois estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou. E deu provas disso a todos, ressuscitando-o dentre os mortos” (Atos 17: 24-31 – NVI).

Diante disso, vamos procurar ser verdadeiros adoradores e não deixar que as coisas nos afastem de Deus e de uns dos outros. Pessoas são muito mais importantes do que coisas. Pessoas têm um valor incalculável: preço de sangue. As coisas ficarão, mas as pessoas herdarão o céu. Não deixe de ir pra lá por causa de coisas. Deus ilumine você.

 

Pr. Magno Batista congrega na IAP em Vila Medeiros (SP)

%d blogueiros gostam disto: