Janeiro Branco

Sua mente agradece!

Você provavelmente conhece ou já ouviu falar sobre as campanhas de prevenção e combate ao câncer: outubro rosa e novembro azul, mas e o Janeiro branco, você sabe o que significa?

Mobilizar a sociedade em favor da saúde mental, essa é a resposta à pergunta do parágrafo anterior. Vivemos no “século da depressão”, é cada vez maior o número de pessoas diagnosticadas com ansiedade, fobia, pânico, entre outros sintomas reais que tem afetado cada dia mais a vida das pessoas. Tal crescente nos traz um alerta, é preciso cuidar dos aspectos mentais e emocionais da nossa vida. Se você se propor a começar fazer exercícios físicos, um componente muito importante com certeza é o sapato adequado para evitar os impactos, principalmente nos joelhos, faz sentido cuidar do corpo, previne doenças e contribui para um futuro saudável, mas e os impactos emocionais que diariamente nos acometem, por que não vestir algo que amorteça esses impactos também?

O conceito de saúde mental, é a capacidade de administrar a própria vida e suas emoções, é um estado de equilíbrio que proporciona bem estar à pessoa, é estar em contato com a realidade, lidando com as situações diárias sem adoecer. Nem sempre você conseguirá isso sozinho. É por esse e outros motivos que os psicólogos existem e trabalham, é preciso extinguir de vez o tabu que ainda persiste sobre saúde mental, ir ao psicólogo “não é coisa de louco”, isso faz parte de uma cultura ultrapassada, atualmente, é reconhecida a importância do psicólogo no cuidado da saúde mental e emocional, do qual todos nós temos. Buscar ajuda psicológica é sinal de inteligência, é não perder o controle daquilo que controla todo nosso corpo, pensamentos e comportamentos.

O mês de Janeiro representa início e a cor branca simboliza o papel em branco, comece um novo ano escrevendo uma história diferente sobre saúde mental, você pode participar dessa campanha promovendo e/ou participando de palestras, encontros, debates, ajudando a si mesmo e ao próximo, isso não é motivo para vergonha, é um gesto nobre. As escrituras sagradas nos traz o exemplo de uma mulher que soube ouvir, Rute aceitou os conselhos de sua sogra Noemi e hoje é lembrada como modelo de caráter feminino, é claro, que sua fé e obediência à Deus são os principais temas desse livro na Bíblia, mas ouvir e aceitar ajuda fizeram parte da história dessa mulher virtuosa. A sua história ainda está sendo escrita, não deixe o ano passar em branco, quem cuida da mente cuida da vida.

Por: Simone Baldi estudante de Psicologia congrega na Igreja Adventista da Promessa na 2° igreja de Jales
Publicado originalmente em: http://fesofap.portaliap.org/em-destaque/saude-sua-mente-tambem-precisa/