Manual de Instruções para 2015

E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhare orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”. (2 Crônicas 7:14).

Quando compramos um produto, normalmente ele vem com um manual repleto de instruções, não é mesmo? Principalmente se for daqueles que têm múltiplas funções!

 

Por exemplo: no manual de uma TV encontramos informações importantes sobre como instalar o aparelho, manusear o cabo de energia e verificar a voltagem; como usar o controle remoto para ligar, desligar, trocar os canais, ajustar o volume e usar o menu para configurações da tela; como conectar outros dispositivos [DVD/BluRay] e quais os cabos compatíveis; também encontramos informações para solução de possíveis problemas. Às vezes, até conseguimos operar o aparelho sem recorrer ao livro de orientações, mas para instruções mais detalhadas, precisamos recorrer ao manual.

Costumo dizer que a Bíblia Sagrada é o manual de instruções do ser humano. E não foi escrito de maneira comum, mas foi inspirado por Deus (2 Timóteo 3:16). Esta é uma simples analogia que fazemos da Palavra de Deus, pois é somente nas Escrituras Sagradas que encontramos todas e as melhores instruções para a vida material, profissional, social, conjugal, paternal, fraternal, e, principalmente, espiritual. É neste manual de 1.189 capítulos que encontramos justamente “aquela” orientação que necessitamos. Veja:

Quando o filho quer algo, pede para o pai. O pai vai examinar a necessidade do filho e vai conceder o seu pedido ou não (Lucas 11:9-13). Se o pai conceder, não será exatamente o que o filho está pedindo? “Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” (v. 13). E se não conceder é porque o Pai sabe o que é melhor para seu filho.

É interessante notarmos que este manual também nos ensina como pedir. Não é simplesmente se dirigir ao pai e dizer: “Pai, eu quero isso!” Tem de analisar as circunstâncias e o impacto de seu pedido. “Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites” (Tiago 4:3).

É neste livro sagrado que encontramos a instrução do Altíssimo para clamar e invocar o Seu nome em todos os momentos. Se nos entregarmos de corpo e alma a ele, se buscarmos o seu santo nome, se nos arrependermos e nos convertermos de todo pecado, ele vai responder o nosso clamor (II Crônicas 7:14). Foi ele mesmo quem disse que, se buscarmos com sinceridade de coração, ele mesmo responderá. Aleluia!

“Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes” (Jeremias 33:3). O Senhor também nos orienta que, se seguirmos exatamente as instruções, seremos abençoados e o que pedirmos em seu nome, ele o fará (Deuteronômio 28:1-13; João 14:13-15).

Mas note que é no nome do Senhor! Se for no nome dele, o que pedirmos deve ser para glorificação de seu nome. São diversos os objetivos, planos e projetos para o ano de 2015; diversas realizações ocorrerão neste ano.

Mas antes de pensar que você sabe exatamente “como fazer isso ou aquilo” antes de tomar qualquer ação ou decisão, crie o hábito de buscar orientação e dar aquela “olhadinha” em algumas instruções sagradas só para garantir o que vai realizar; apenas para ter certeza se está de acordo com o Manual dos manuais.

Não tem segredo sobre como as coisas funcionam, pois está tudo escrito no Manual. É só seguir as instruções!

Da. Jonatas Ribeiro congrega na IAP em Jardim Amélia, Sumaré (SP)

 

 

%d blogueiros gostam disto: