Meningite bacteriana aos 12 dias de vida

Mas a cura foi completa, graças a Deus!

Nosso filho, Vitor Emanuel, foi uma criança gerada por uma gravidez tranquila e saudável. Até que, ao nascer, dia 28 de abril de 2018, ele sofreu falta de oxigênio (anoxia neonatal). Então, os médicos correram para fazer aspiração, pois ele tinha ingerido mecônio na barriga da mãe.

Vitor conseguiu respirar e chorou, mas ficou com desconforto respiratório, necessitando de oxigênio na UTI. Ao passar três dias melhorou, ficou com pulmões fortes, podendo respirar sozinho, mas ainda precisava de internação porque estava com infecção no sangue causada por bactéria do mecônio.

Passados nove dias e tomando antibióticos, Vitor sarou e foi para a casa com nossa família, para a Glória de Deus.

Em casa, Vitor chorava muito, não mamava e não dormia direito, começou com uma tosse forte, no terceiro dia em casa teve febre, então o levamos ao hospital. Estes foram momentos de muita preocupação e angústia, pois Vitor teria que passar por vários exames para descobrir seu problema, a febre só aumentava, ele tossia e chorava demais.

Até que, depois de dez horas de espera, uma médica que já estava indo embora, pois já havia encerrado seu plantão, se interessou em avaliar o caso. Acreditamos que esta médica foi enviada por Deus naquele momento, porque ninguém sabia o que ele tinha. Ela colheu o liquor da coluna e descobriu muito rápido que ele estava com meningite bacteriana, necessitando de internação e isolamento imediato. Rapidamente iniciaram o tratamento com antibióticos fortíssimos, pois a meningite era muito grave.

Foram momentos muito difíceis, pois o Vitor só tinha 12 dias de vida, tinha acabado de se recuperar dos problemas anteriores e sofria de uma doença tão grave, ainda tão pequeno.

Mas, pela misericórdia de Deus Pai, no mesmo dia em que começou a ser medicado, ele já não tinha mais nenhum sinal da doença. Mesmo assim,  permaneceu durante dez dias no hospital para tratar a meningite. Nosso bebê já não tinha veia para pegar acesso, necessitando fazer o PICC (Passagem de Catéter Central de Inserção Periférica) para terminar o tratamento. Depois de dez dias nosso filhinho amado estava completamente curado, através da graça e poder de Deus. Agradecemos todos os irmãos que oraram e nos apoiaram nesse momento tão difícil.

Hoje o Vitor está perfeito, forte e saudável. Continuamos gratos a Deus porque o Vitor não ficou com sequela alguma de nenhum problema que teve.

Vitor de vitória, Emanuel de Deus conosco!

 

Atilio Vitor Barreto e Lidiane Oliveira Barreto, da IAP em Vila Helena, Sorocaba (SP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.