Não importam as circunstâncias

Diante das dificuldades, será que conseguimos nos alegrar no Senhor?

“Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação.” (Hc 3:17-18)

Século 21. Estamos vivendo num mundo em que é pregado constantemente que o cristão não nasceu pra sofrer. Vitória, sucesso, enriquecimento são as únicas coisas anunciadas em muitos púlpitos por aí afora. Você não pode adoecer, não pode perder o emprego, não pode decretar falência em sua empresa, não pode aceitar que o ímpio prospere e o justo padeça. Será que é isso que o Senhor Jesus quer que pensemos? Será que é assim mesmo que devemos nos portar perante as situações adversas?

O profeta Habacuque deixou-nos um excelente exemplo em seu livro no capítulo três. Ele reconhece a soberania de Deus e vê que, em todas as situações, devemos nos alegrar no Senhor. Mas será que na prática é fácil assim? Quando perdemos um ente querido, quando terminamos um relacionamento, quando não passamos no vestibular, quando os amigos nos viram as costas, será que mesmo assim exultamos o Senhor? Somos capazes de ver a mão do Senhor em tudo nas nossas vidas?

Em alguns momentos somos atribulados, sofremos calúnias, injúrias, mesmo sendo inocentes. José foi para a prisão depois de resistir à tentação, isto é, ele como servo do Senhor, fez o que era certo e mesmo assim foi preso por uma falsa acusação infundada. E mesmo na prisão continuou testemunhando do Deus a quem ele servia (Gn 39:7-23). Será que agiríamos assim como José?

É fácil adorar, exaltar e gloficar ao Senhor em meio a bonança, fartura e bençãos. E na dificuldade? Nas adversidades? Será que louvaríamos ao Senhor dentro de uma prisão, assim como Paulo e Silas, encarcerados mesmo sendo inocentes (At 16:25)? Ou talvez faríamos como Jó quando, mesmo após perder os bens, os servos, os filhos e até adoecer fisicamente, foi capaz de bendizer o nome do Senhor e reconhecer que tudo o que tinha vinha dele. (Jó 1:21).

Tudo o que acontece em nossas vidas tem um propósito de Deus. Até nas adversidades o Senhor está conosco. Em meio às lutas, às dificuldades, nas derrotas, ele sempre tem o melhor para nós porque ele nos ama eternamente!

Que possamos orar sempre assim: “Senhor nos ajuda, nos ensina e nos fortalece a cada dia mais para que possamos alcançar corações sábios e entender a sua soberania sobre nossas vidas e, mesmo que nada aconteça da maneira que nos agrada, Tu és e sempre serás o Deus a quem servimos! Amém.”

Diego da Silva Barros é membro da IAP em Piedade (RJ).