Não vai faltar!

O cuidado de Deus continua, mesmo em meio à crise

Como não se desesperar em meio à uma crise econômica como a que estamos vivendo? Mais de 11 milhões de desempregados! Quando vamos ao supermercado e gastamos muito, nos frustramos trazendo poucas sacolas. Certamente a crise é um termômetro para saber se estamos confiantes no cuidado de Deus. Em relação a isso, vemos em Mateus 6: 24-32 a promessa do cuidado do Pai, principalmente nas nossas necessidades básicas.

1) Crer no cuidado de Deus é tê-lo como Senhor
Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” (Mt 6.24)
Jesus falava de ajuntar tesouros no céu, querendo dizer sobre priorização da vida espiritual (v.19-21); e concluiu o trecho falando, que temos que ter bons olhos, uma iluminação que determina como será a vida. O conselho de Jesus, então, é que nos desviemos das trevas e para termos luz (v. 22-23). Jesus fala que não podemos dividir Deus com as riquezas (v.24).
A palavra riquezas (ou dinheiro), no grego é mamonas, com o significado seguinte: “posses, bens terrenos”. Por isso, Jesus coloca o dinheiro como uma falsa divindade, que pode ser servida, e colocada em concorrência com Deus.
Diante disso, Cristo diz: “Ou servirmos a Deus ou às riquezas”. O altar do coração, Deus não divide com outro. Ou servimos a Ele ou às posses. Ou Ele é o dono da nossa vida ou as riquezas. No “banco de valores” da nossa vida, ou aceitamos os depósitos de Deus, ou o dinheiro sujo do diabo.
A questão não é o dinheiro em si, mas o lugar em que ele está, se no bolso ou no coração. Se cremos no cuidado de Deus, Ele é nosso Senhor, e são pelos valores da Palavra dele que obedecemos. Se for o dinheiro nosso senhor, seremos governados pela avareza, consumismo, egoísmo, mesmo quando tudo que temos é para uso pessoal e compartilhamento com os outros. Por isso, em seguida Jesus apresenta um antídoto contra essa divinização da riqueza.

2) Crer no cuidado de Deus é confiar em sua provisão
Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas” (Mt 6.31-32)
Ser cuidado por Deus envolve a confissão dele como Senhor. E se Ele é nosso Senhor estamos nas mãos de um Deus eterno e que nunca muda (Ml 3.6). Não houve momento na história que Deus se desestabilizou do Seu reinado. Confiar na instabilidade das riquezas como nosso senhor constitui-se numa falha de fé (1Tm 6.17). Deus, o Pai, sendo nosso Senhor, tem cuidado dos que creem nele. Jesus nos mostra que o Pai cuida de três coisas: comida, bebida e roupa (v.25).
Para ilustrar o cuidado do Pai, Jesus propõe a reflexão a respeito das flores do campo e dos passarinhos: vestidos e alimentados pelo Pai. Ele também nos questiona se podemos acrescentar idade ou medida à nossa altura devido à ansiedade com que buscamos os bens materiais (v.26-28). Jesus diz que, nem Salomão, com toda a glória de seu reino se vestiu como essas flores. Então, se Deus cuida destas coisas é certo que nos dará o que é básico na vida (v.29-32).
Jesus ainda lançou uma segunda proposta. Buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça (v.33-34). Ou seja, a prioridade de quem tem Deus como Senhor é buscar continuamente seu reino, seu domínio manifestado por meio da Encarnação de Cristo. A justiça que temos de buscar é uma vida de acordo com a vontade de Deus, revelada em Sua Palavra. Nossa prioridade é essa. A quem segue este plano, buscar o reino e a justiça, Deus acrescenta o necessário.

Qual tem sido nossa postura diante da vida?
Fazemos tudo pra ganhar desesperadamente o dinheiro, ou cremos no cuidado de Deus com nosso trabalho? Jesus não é contra o trabalho neste texto. Ele criou o trabalho antes do pecado (Gn 2.7). A questão é não fazer desta busca (pelas posses, bens e dinheiro) a primeira razão da vida, a ponto de tornar isso um deus, mas, a prioridade de nossa vida deve ser a justiça do reino de Deus e veremos o cuidado dele nas nossas necessidades básicas. Vamos orar por isso! Vamos viver por isso!

Andrei Sampaio Soares presta auxílio pastoral à IAP de Pedreira (zona sul de São Paulo) e colabora com o Departamento de Educação Cristã (DEC).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: