O cristão e o meio ambiente

“Do Senhor é a terra e tudo o que nela existe, o mundo e os que nele vivem” (Salmos 24:1)

 

Acabamos de comemorar o Dia da Árvore (21/09), o que nos leva a pensar nas questões que envolvem o meio ambiente. Estamos vivendo na época em que está na moda ser ecologicamente correto. Há um número razoável de agências e de instituições que trabalham diretamente com a conscientização e com a preservação do meio ambiente.

Relacionada a essa questão, podemos refletir na seguinte pergunta: Qual a posição do cristão, do servo de Deus, no que se refere ao meio ambiente? Devemos ser indiferentes ao que está acontecendo em nosso planeta ou podemos ajudar a cuidar e proteger o lugar em que vivemos? Qual é a orientação divina quanto a isso? A própria Palavra de Deus vai nos orientar sobre a forma de agirmos no que se refere à importância do meio ambiente.

O Salmo 24, no versículo 1 enfatizar que a terra, tudo o que nela existe, o mundo e os que nele vivem pertencem diretamente ao Senhor Deus. Ou seja, a fauna, a flora, o ecossistema, os oceanos, a água potável, os rios e o mares, absolutamente tudo foi criado por Deus e a ele pertence – ele é o único dono de tudo o que existe. Sendo assim, qual o nosso papel e a nossa responsabilidade diante desse fato?

Em Gênesis 1: 26 e 28, podemos ler que a ordem do Senhor depois de ter criado todas as coisas é que o ser humano domine sobre os animais. Esse ato de dominar está relacionado à questão de estar numa situação de autoridade diante da criação. No entanto, tal autoridade não é colocada em prática somente pelo fato do homem comandar, mas também significa manter, cuidar e proteger. Significa, por exemplo, utilizar a água consciente de que ela é um bem não-durável dado por Deus para nossa sobrevivência e que, por isso, não deve ser desperdiçada num banho de uma hora de duração. Significa também ter a consciência de que cuidamos da criação não jogando lixo no chão e procurando reciclar o lixo de nossas casas e – por que não? – de nossas igrejas também.

Você pode achar que isso é papo chato de uma ecologista politicamente correta, mas pense bem: nós não somos donos dos recursos naturais e da criação de Deus. Somos somente mordomos. Dessa forma, qual a atitude de um mordomo bom e fiel? Administrar, cuidar e proteger da melhor forma possível o patrimônio de seu senhor! Por isso, nesse período em que se fala tanto em ecologia, em recursos naturais e em preservação do planeta, podemos e devemos refletir se temos sido mordomos fiéis daquilo que Deus nos orientou a cuidar e proteger: o nosso planeta e seus inúmeros e diversos recursos. Não se esqueça de que tudo o que está no planeta pertence ao Senhor e que como servos e mordomos fiéis, devemos cuidar dele da melhor forma possível!

 

Dsa. Cláudia dos Santos Duarte congrega na IAP em Votuporanga (SP) e é diretora do Dijap da Convenção Noroeste Paulista.

%d blogueiros gostam disto: