Um dia antes de sua crucificação, enquanto dava instruções a seus discípulos e os consolava, Jesus falou-lhes de sua ascensão ao céu e da missão que o Espírito Santo, seu representante, desempenharia na terra: Mas, quando vier o Consolador, que eu, da parte do Pai, vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim. E vós também testificareis (…) E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo (…) Ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir (Jo 15:26 e 27; 16:8 e 13).

Depois de ressuscitado, afirmou-lhes: Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra (At 1:8). Mas antes de todas estas coisas lançarão mão de vós, e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e às prisões, e conduzindo-vos à presença de reis e presidentes, por amor do meu nome. E vos acontecerá isto para testemunho. Proponde, pois, em vossos corações não premeditar como haveis de responder; porque eu vos darei boca e sabedoria a que não poderão resistir nem contradizer todos quantos se vos opuserem (…) Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós. (Lc 21:12-15; Mt 10:20).