O justo pelos injustos

Nada que nós fizemos ou venhamos a fazer poderá pagar o preço da substituição de Jesus

“Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” (Is 53:5)

Você sacrificaria a vida do seu único filho em troca da vida de milhares de pessoas? Pessoas que nem sequer lhe conhecem? Você crê que alguém seria capaz de realizar um feito como este? Pois é, Deus fez isso! Entregou seu próprio filho, Jesus Cristo, para morrer numa cruz por amor de todos nós!

Ao longo de seu ministério, Jesus passou por diversas situações, operou curas, milagres, ressuscitou mortos, expulsou demônios e, mesmo assim, as pessoas não creram. Não é muito diferente dos dias de hoje, pois ainda existem pessoas que não crêem nele e nem no seu sacrifício. O orgulho do homem o impede de reconhecer que é pecador, por isso nega que Jesus morreu no seu lugar.

Na cruz, Jesus pagou um alto preço! Ele deu a sua vida em nosso favor. O pecado e o castigo pertenciam a nós, mas Cristo, sem mácula nem culpa, voluntariamente, assumiu ambos! “(…) o castigo que nos traz a paz estava sobre ele (…)” (Is 53:5). Verdadeiramente, nós é que deveríamos ter morrido naquela cruz mas, pela sua infinita graça e misericórdia, Deus enviou o seu único Filho para que morresse em nosso lugar! (Jo 3:16). (…) O justo pelos injustos (…). (I Pe 3:18)

A coroa que Jesus usou foi feita para mim, para você, para nós! Ele foi humilhado, açoitado, carregou aquela cruz até o local onde seria consumada sua morte. O cordeiro carregou a nossa culpa. Quanto sofrimento o nosso Rei Jesus passou nos instantes finais de sua vida aqui na terra!

Nada que nós fizemos ou venhamos a fazer poderá pagar o preço dessa troca. Foi a vida dele no lugar da nossa! Ele morreu no nosso lugar! Foi um ato de amor!

Pense bem e responda para si mesmo: você acha que somos merecedores do que ele fez por nós? Se você respondeu que não, você respondeu certo, não somos merecedores, mas mesmo assim Deus aceitou a troca! Seja louvado o nome do Senhor Jesus, hoje e eternamente!

 

Diego Barros é membro da IAP em Piedade no Rio de Janeiro.