Para que serve o carrapicho?

Somos ensinados quando lidamos com a adversidade

E o Senhor me disse: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” (II Co 12:9)

Daniel Godri, conferencista em motivação, perguntou em uma palestra: “para que serve o carrapicho? Aparentemente, serve apenas para nos incomodar e provocar dor. Mas, aquele que identifica na adversidade algo edificante, pode tornar até mesmo um carrapicho um meio para um fim proveitoso.”
Foi o caso de Georges de Mestral, o engenheiro que criou o velcro a partir de sua experiência com os carrapichos. Atualmente o uso e aplicação do velcro é vasto, e Mestral tornou-se um dos homens mais ricos do século XX, resultado de um momento desagradável.

Voltando-nos para o texto base de nossa reflexão, encontramos o mesmo ensinamento do carrapicho. Paulo nos diz que foi lhe dado um espinho na carne (II Co 12:7). Na análise do apóstolo dos gentios, este espinho só poderia ser encarado como negativo e prejudicial (v. 8). Pra que poderia servir um espinho perfurando sua carne senão unicamente trazer sofrimento? Mas o Senhor Jesus lhe disse: A minha graça te basta. Meu poder se aperfeiçoa na fraqueza (v. 9). Jesus apresenta a Paulo o lado positivo do sofrimento.

Amados, a visão de Cristo é macro. Ele percebe com total realidade e clareza o que está além do sofrimento, o que está além de circunstâncias que parecem ser apenas negativas. Quão desagradáveis foram para Mestral os dias em que ele passeava no bosque para se descontrair e se deparava com os carrapichos presos em sua roupa. Assim também, o espinho na carne de Paulo não era nada agradável. Mas Jesus sabe muito bem porque e para que passamos pelas lutas que nos sobrevêm!
Creia que, apesar de tudo, Deus está no controle e ele é poderoso para reverter seu  choro em grande alegria. Creia que, como canta Kléber Lucas, Além das nuvens, o sol não deixou de brilhar, só porque a terra escureceu! Se hoje os carrapichos se prendem ao seu corpo, não murmure. A graça de Cristo se aperçoará em sua fraqueza. O agir do Senhor em sua vida será muito mais evidente por causa da sua dor momentânea.

Paulo chama seu sofrimento de espinho na carne. E um carrapicho não é muito diferente de um espinho. Uma definição científica nos diz que o carrapicho é constituído, inclusive, de espinhos. Mas nos conforta saber que o pior dos carrapichos, o pior dos espinhos, a coroa de espinhos, Jesus já carregou por nós. Por isso, amados, podemos crer que seremos aperfeiçoados e abençoados por ele, apesar das lutas, dos nossos dilemas, dos espinhos e carrapichos de nossa vida.  O carrapicho prende-se à nossa roupa de forma passageira e reversível. Em Cristo, o espinho na carne também será reversível, pois sua única finalidade é nos fazer crescer.

Perceba o que Paulo escreve no fim do versículo 7: A fim de não me exaltar. Ele dá ênfase à razão do sofrimento pelo espinho na carne, pois já havia mencionado no inicio do versículo. No caso de Paulo, os carrapichos tinham a finalidade de fazê-lo permanecer em humildade, fazendo ele reconhecer, apesar do homem fenomenal que era, que a cada dia, precisava desesperadamente de Deus.

O texto bíblico acima e a nossa ilustração também nos conduzem para uma reflexão: se cremos que Deus está no controle, não devemos querer nos livrar dos dilemas do nosso jeito, à base da força. Quando um carrapicho prende-se à nossa roupa, se tentarmos arrancá-lo na base do empurra-empurra, será pior. O melhor é deixar que Deus conduza a situação. Ele se responsabilizará por arrancar os carrapichos e espinhos sem nos ferir, sem efeitos colaterais, para sua glória! Os que assim fizerem serão pessoas que, na fraqueza, se tornarão fortes. Serão pessoas que enxergarão o Deus da provisão acima da passageira aflição. Conheça Cristo e saiba que ele está no controle, então, você reconhecerá que sua maravilhosa graça lhe basta.

%d blogueiros gostam disto: