Em 3 de agosto de 1909 Dona Rosa resolveu mudar-se para São Luiz do Maranhão. O rapaz estava com dezesseis anos de idade. Nessa ocasião, os planos de Deus começaram a se revelar e desenvolver na vida daquele jovem. No horário do almoço, João dispunha de 1:40 h de repouso.

Ao lado da casa onde tomava refeição, morava uma família cearense com quem tinha boa amizade. Assim, nos períodos de folga, passou a frequentar a casa dessa família. Certo dia percebeu sobre a mesa um livro que lhe chamou a atenção. Pegou-o em suas mãos e leu o título impresso na capa: BÍBLIA SAGRADA. Começou a ler com grande interesse e curiosidade. Uma jovem da casa observando a maneira como João lia a Bíblia fez a seguinte advertência: Essa Bíblia é protestante! Se você quiser, eu tenho uma Bíblia católica, na qual você poderá continuar estudando. A leitura daquela Bíblia e de outros livros com ilustrações era o passatempo do jovem durante a semana e aos domingos.

Noutra ocasião ele foi novamente advertido, pelo dono da casa: “Cuidado, aquele senhor Felix (o mesmo nome de seu pai) é protestante, evite conversar com ele.” Como os caminhos de Deus não são os nossos caminhos, os pensamentos de Deus mais altos que os nossos pensamentos, a observação dirigida ao jovem João teve efeito exatamente oposto ao que se imaginava.