Ressuscitado no ventre

André seria retirado do útero materno, mas Deus lhe devolveu a vida

Sou brasileira, nascida na IAP e moro em Galvez, província de Santa Fé, na Argentina, há cinco anos. No começo de 2010, eu e meu marido fomos abençoados com a notícia da chegada do nosso segundo filho. Ao completar três meses de gestação, fui encaminhada para fazer uma ultrassonografia, que confirmaria o tempo de gestação e a provável data do parto.

Naquele dia, o médico se mostrou bastante inquieto e, ao final do exame, disse-nos que, de fato, eu estava grávida, mas o bebê não tinha movimentos e nem se ouviam os batimentos cardíacos… Segundo ele, o bebê estava morto e eu deveria retornar dentro de uma semana para os procedimentos necessários. Abatidos e angustiados, retornamos ao nosso lar, entrei em contato com minha família no Brasil e relatei o ocorrido. Minha mãe, Das. Maria Vilma de C. Andrade, logo entrou em contato com os membros da IAP em Vila Nhocuné (SP), onde congreguei desde o meu nascimento, e com as irmãs da Resofap Paulistana Leste e com todos os seus contatos, por e-mail. Houve uma avalanche de orações e clamor a Deus em nosso favor.

Foi uma semana difícil, em que o tempo parecia não passar. No dia marcado, numa expectativa angustiante, retornamos ao médico e foi realizado um novo ultrassom e, para surpresa do médico, e para honra e glória do Senhor Deus, nosso filho mexia-se tanto que quase não era possível realizar o exame e os batimentos cardíacos eram fortes e intensos! No decorrer da gestação, houve ainda outro momento de tensão, quando o bebê foi diagnostico como portador de diabetes.

Porém, o milagre de Deus foi completo e no dia 19 de outubro de 2010, nasceu o André, pesando 3,500 quilos, saudável e perfeito! Prova de que o Senhor continua atendendo nossas orações e realizando milagres! “Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida” – I Jo 5:12

Vanessa de Carvalho Andrade, Galvez, Argentina

%d blogueiros gostam disto: