Jesse Lyman Hurlbut descreve esse despertamento religioso por que passaram algumas denominações protestantes americanas entre o final do século XIX e o início do século XX, com as seguintes palavras: “Uma intensa sede espiritual, em razão da qual efetuaram reuniões de oração entre grupos de crentes de várias denominações, foi uma das características que se evidenciaram nas igrejas, no fim do século passado (século XIX). Como resultado das atividades desses grupos de crentes, produziram-se avivamentos em vários lugares nos Estados Unidos e na Europa. Caracterizavam-se esses avivamentos por um intenso fervor de evangelização e um profundo espírito de oração.

Da mesma forma dava-se ênfase aos dons espirituais e à sua operação, inclusive cura divina, e falar em outras línguas, como sinal da recepção do batismo do Espírito Santo (At 2:4). Predominava também entre eles o zelo missionário baseado na profunda convicção relacionada com a vinda iminente do Senhor Jesus Cristo e bem assim a consciência da responsabilidade que cabia aos crentes batizados com o Espírito Santo, no sentido de obedecer à última ordem de Jesus” (Jess Lyman Hurlbut, História da Igreja Cristã, Editora Vida, 1979).