Sola Fide

Sem a fé, não somos convertidos, mas religiosos vazios, escravos de nossas obras

Sola Fide em latim, que se traduz por “somente pela fé”, foi uma bandeira hasteada pela Reforma Protestante, da qual jamais devemos desprezar. Sem este norte, não seremos convertidos, mas religiosos vazios, escravos de nossas obras. Estaremos desprezando o que Jesus fez por nós. Uma moeda perdida dentro da casa. Uma ovelha desamparada no deserto que não se deixa ser carregada pelo Supremo Pastor. Um filho pródigo que ainda não caiu em si, sem nada, sem significado, cheirando a porcos, sem o abraço, o beijo, as vestes e a festa preparada, sem merecimento humano, mas unicamente pelo “Pai” – Lucas 15.

O versículo mais traduzido da Bíblia Sagrada diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” – Jo 3.16. Ele apresenta uma resposta à todas as ambiguidades humanas, ao começar afirmativamente com um “Porque”. Ele desvenda a natureza e o coração de Deus quando diz “Deus amou”. Ele mostra a extensão deste amor ao afirmar “Deus amou o mundo”. Ele anuncia a inexplicabilidade deste amor ao deixar claro que foi “de tal maneira”. Ele oferece o que nós nunca merecemos, ao anunciar “que deu o seu Filho Unigênito”. Ele escancara escandalosamente a graça ao oferecer “para todo aquele”. Ele proclama a única forma de aceitação da salvação que é pela fé no Seu Filho e em mais ninguém, “nele crê”. Ele apresenta do que as pessoas são salvas, que é a morte eterna, ao alertar “não pereça”. E termina afirmando o desejo do Senhor para Seus Filhos para que no futuro vivam em plenitude de glória dizendo“mas tenha a vida eterna”.

Somente a fé é uma bandeira do Evangelho por que:

  • É uma dádiva de Deus – Jd v.3.
  • Advém da Palavra de Deus – Rm 10.17.
  • É produzida pelo Espírito Santo – Jo 16.7-11; Gl 5.22.
  • Nos faz aceitar a graça ofertada por Cristo – Rm 5.2; 2 Co 5.21; Ef 2.8.
  • Nos propicia o sangue de Jesus – Rm 3.25.
  • Nos justifica – Rm 3.24, 28; 5.1; 8.33.
  • Nos justifica como fez com Abraão (atribuída por Deus, sem ajuda da nossa parte) – Tg 2.23.
  • Nos faz viver – Rm 1.17.
  • Nos faz praticar boas obras após sermos salvos – 2.8-10; Tg 2.26.

O Capítulo 11 de Hebreus é o capítulo da fé, pois apresenta um caminho trilhado por inúmeros irmãos do passado.

Assim, neste texto a fé:

  • Nos faz ver o futuro e o invisível – v.1.
  • Produz bom testemunho – 2.
  • Nos proporciona a compreender a criação – 3.
  • A única forma de agradar a Deus – v 6.
  • Nos irmana com os heróis da fé: Abel, Enoque, Noé, Abraão, Isaque, Jacó, José, Moisés, Raabe, Gideão, Baraque, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e Profetas. Aliás, o termo “pela fé” aparece 20 vezes neste capítulo.
  • Nos desafia a viver na contracultura do mundo ao afirmar: “O mundo não era digno deles…” – v.38.
  • Nos deixa sem opção ao demonstrar como ser um vencedor acima de todas as circunstâncias: “Todos estes receberam bom testemunho por meio da fé…” – v. 39.
  • Sem prometer o céu na terra, Deus que é o Senhor da história, une os irmãos de todos os tempos, na mesma formula de salvação que é a fé – “Deus havia planejado algo melhor para nós, para que conosco fossem eles aperfeiçoados. ” – v. 40.

Só nos resta trilhar nossa carreira sem desistir, combater o bom combate e “guardar a fé” – 2 Tm 4.7.

E, se alguém perguntar como ser justificado e salvo? Você terá a grata satisfação de dizer: Só Jesus, pelo sacrifício da cruz, tendo como único trabalho “o crer”, o “aceitar pela fé” e descansar nEle. E se for houver insistência: Tem certeza? Somente isto? Responda sim, essa é a melhor notícia de todos os tempos,para que você seja livre,

Sola Fide,

Pr. Elias Alves Ferreira é responsável pela IAP em Jales (SP) e integra a equipe do Departamento Ministerial – Convenção Geral.