Surpreendido pela vida

Mesmo diante de notícias desoladoras, devemos continuar confiando em Deus

“O Senhor veio salvar-me; pelo que, tangendo os instrumentos de cordas, nós o louvaremos todos os dias de nossa vida, na Casa do Senhor.” (Isaías 38.20).

A nossa vida está repleta de surpresas, sejam elas agradáveis ou não. E com os homens que viveram no período bíblico esta realidade não é diferente, como bem podemos observar na vida de Ezequias. Este rei de Israel recebeu uma notícia que o deixou estarrecido, extremamente surpreso: o profeta Isaías o procurou para avisá-lo de que Ezequias deveria se preparar, pois sua doença em breve o levaria à morte. A reação desse monarca não foi de murmuração e desespero, mas ele clamou ao Senhor através de um cântico de louvor por uma cura e pelo livramento da morte. Esse clamor foi sincero, reverente e confiante na bondade e na misericórdia de Deus. E como a própria Palavra de Deus relata, o Senhor livrou Ezequias da morte e, assim, esse homem continuou louvando e adorando ao Deus que, de forma tão misericordiosa, o livrara e curara.

No cântico de Ezequias, observamos algumas características de alguém que fora surpreendido numa situação desoladora, mas que não se abateu, porém buscou a Deus. Em primeiro lugar, esse rei reconheceu claramente as suas limitações como ser humano, percebendo que numa situação dessas nada poderia fazer, no entanto, ele buscou aquele que é o dono de toda a vida, aquele que realmente poderia solucionar completamente o seu problema. Às vezes, nós nos achamos auto-suficientes!!! A partir do momento em que reconhecemos não sermos capazes de tudo e que precisamos de Deus e do próximo, levaremos a vida de maneira menos ansiosa.

Em segundo lugar, Ezequias revela a sua total dependência da graça divina. “Senhor, por estas disposições tuas vivem os homens, e inteiramente delas depende o meu espírito; portanto, restaura-me a saúde e faze-me viver.” (Isaías 38.16). Justamente pelo fato de reconhecer os seus próprios limites, esse homem se achega a Deus, reconhecendo a ele como quem realmente pode fazer algo de concreto pela sua situação.

Por fim, Ezequias agradece a Deus por esse grande presente recebido: a restauração de sua saúde. “O Senhor veio salvar-me, pelo que, tangendo os instrumentos de cordas, nós o louvaremos todos os dias de nossa vida, na Casa do Senhor.” Ele não esquece que continuaria vivo porque Deus interveio na sua vida e por isso canta esse belo cântico com todo o seu agradecimento. Que isso seja sempre um lembrete pra nós e que nunca esqueçamos que é o Senhor Jesus quem nos dá graça e vida.

Que as surpresas que a vida nos reserva sejam sempre vividas na presença de Cristo!

Dsa. Cláudia dos Santos Duarte congrega na IAP em Votuporanga (SP) e é diretora do Dijap da Convenção Noroeste Paulista.

%d blogueiros gostam disto: