lição 8

A liberdade do evangelho

  • Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.

 

Dicas

Testemunho: Ao iniciar o estudo da lição, chame uma pessoa, previamente convidada, para dar um breve testemunho pessoal de sua transformação por meio do evangelho de Jesus. O testemunho deve ser breve, não podendo ultrapassar 3 minutos.

Dinâmica: Caixas de papelão e papel sulfite.
Para explicar o item 2: Uma ilustração adequada, use duas caixas de papelão pequenas (podem ser do tamanho de uma caixa de sapatos). Uma delas representará Agar; a outra representará Sara.
Na caixa que representará Agar, ponha papéis sulfite, escritos em cada um deles, em letras grandes: filhos para a escravidão; salvação pelas obras; Ismael; Jerusalém terrena.
Na caixa que representará Sara, ponha papéis sulfite, escritos em cada um deles, em letras grandes: filhos para a liberdade; salvação pela fé; Isaque; Jerusalém celestial. À medida em que os papéis forem sendo tirados das respectivas caixas, o (a) professor (a) da classe discutirá com a classe sobre o que estiver escrito neles.

Ilustração: Ao estudar o item 3: Uma aplicação necessária, leia para a classe a ilustração denominada: Um presente especial. A mesma pode ser encontrada acessando-se o link: https://ipbicara.wordpress.com/2012/06/14/ilustracao-sobre-graca/ Após a leitura, faça uma ligação entre a ilustração apresentada e a Graça de Deus, mostrando a importância do sacrifício de Jesus e a impotência de nossas obras quanto ao mérito da salvação.

Material de apoio: Use os comentários adicionais, disponíveis no espaço abaixo, para complementar a aula.

Comentários Adicionais

    1. Sobre a alegoria
      “Algumas pessoas ficam incomodadas por Agar (na história real, uma vítima inocente) representar algo negativo em Gálatas 4, ao passo que Sara (na história real, uma colaboradora incrédula de Abraão) representa algo positivo. Precisamos nos lembrar, contudo, que o próprio Paulo ressalta: “isso é uma alegoria” (v.24). Em outras palavras, embora devamos ler o relato como uma história verídica e com ele aprender lições teológicas e morais, não é o que Paulo está fazendo aqui. Ele considera essa história uma ilustração muito boa e simbólica da graça e das obras […]. Apenas quer usá-la como ilustração de uma verdade bíblica. Como vimos, quer usá-la para virar o jogo contra seus oponentes”. (KELLER, Timothy. Gálatas para você. Tradução de Jurandy Bravo. São Paulo: Vida Nova, 2015, pp.128-129).
    2. A estratégia de Paulo
      “Uma vez que os judaizantes costumavam apelar para a Lei, Paulo aceita seu desafio e emprega a própria Lei para provar que os cristãos não estão mais sob o jugo do legalismo. Usa a história conhecida de Ismael e Isaque (Gn 16-21), extraindo desse relato verdades espirituais acerca da relação do cristão com a Lei de Moisés. Os acontecimentos descritos são reais, mas Paulo os emprega na forma de alegoria, ou seja, de uma narrativa com significado subjacente mais profundo”. (WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico Expositivo: Novo Testamento: volume 1. Tradução: Susana E. Klassen. Santo André: Geográfica, 2006, p.927).
    3. Não alegorize, a não ser que a Bíblia assim o faça
      “A forma de Paulo usar Gênesis nesta seção não significa que podemos descobrir “significados ocultos” em todos os acontecimentos do Antigo Testamento. Se usarmos essa abordagem em nosso estudo da Bíblia, poderemos encontrar praticamente qualquer significado que desejarmos, e é assim que surgem muitos falsos ensinamentos. O Espírito Santo inspirou Paulo a discernir o significado subjacente dessa história em Gênesis. Devemos sempre interpretar o Antigo Testamento à luz do Novo Testamento, e, quando o Novo Testamento assim o permitir, podemos buscar alguns significados que não se encontram imediatamente visíveis. De outro modo, devemos aceitar as declarações objetivas das Escrituras sem tentar “espiritualizar” tudo”. (WIERSBE, Warren W. Comentário bíblico expositivo: Novo Testamento: volume 1. Tradução: Susana E. Klassen. Santo André, SP: Geográfica, 2006, p. 921)
    4. Mestres que escravizavam
      “Sem dúvida, os judaizantes eram homens carismáticos. Possuíam credenciais de autoridades religiosas (2 Co 3:1), apresentavam padrões elevados e tinham grande cuidado com o que comiam e bebiam. Realizavam um trabalho bem-sucedido de granjear convertidos e de divulgar suas realizações (Gl 4:17, 18, 6:12-14). Tinham regras e parâmetros que abrangiam todas as áreas da vida; com isso, seus seguidores podiam identificar com facilidade quem era ‘espiritual’ e quem não era. No entanto, os judaizantes conduziam o povo à escravidão e derrota, não à liberdade e vitória, e seus seguidores não conseguiam distinguir entre uma coisa e outra”. (WIERSBE, Warren W. Comentário bíblico expositivo: Novo Testamento: volume 1. Tradução: Susana E. Klassen. Santo André, SP: Geográfica, 2006, p. 931)
    5. Libertos da maldição da lei
      “O que Paulo quer dizer quando fala de liberdade? Antes de tudo ela implica libertação. Esta libertação às vezes é concebida como sendo um resgate da culpa e do poder do pecado (Rm 6.18); e, portanto, de uma consciência acusadora (Hb 10.22), da ira de Deus (Rm 5.1; cf. Hb 10.27) e da tirania de Satanás (2 Tm 2.26; cf. Hb 2.14). Contudo, embora tudo isto esteja provavelmente incluído no uso que Paulo faz do termo aqui (G15.1,13), o contexto indica que ele está pensando particularmente em ser liberto da “lei”, ou seja, em ser liberto daquela maldição que a lei pronunciou contra o pecador que esteve tentando com extremo esforço – decerto sem qualquer sucesso -, alcançar sua própria justiça (G13.13,22-26; 4.1 -7), mas que agora, pela graça de Deus, se achegou a Cristo e à salvação que nele há”. (HENDRIKSEN, William. Comentário do NT – Gálatas. Tradução de Valter G. Martins. São Paulo: Cultura Cristã, 2009, p.276)
21/05/2018

Dicas da lição 8 – “A liberdade do evangelho”

A liberdade do evangelho Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.   Dicas Testemunho: Ao iniciar o estudo da lição, chame uma pessoa, previamente convidada, […]
20/02/2018

Dicas da lição 8 – “Tomando posse da terra”

Tomando posse da terra Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.   Dicas Dinâmica: Papelão ou cartolina, tesoura e cola para papel. O nome dessa […]
21/11/2017

Dicas da lição 8 – “Anatomia do pecado”

Anatomia do pecado Clique AQUI para acessar os slides da lição. Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.   Dicas Vídeo: O Dr. e Pr. […]
14/08/2017

Dicas da lição 8 – “Exercício do regozijo”

Exercício do regozijo Clique AQUI para acessar os slides da lição. Para ouvir o podcast desta lição, clique AQUI.   Dicas 1: Estabeleça a diferença entre […]