Tudo ou nada

Nossa adoração a Cristo não pode ser dividida com o dinheiro, a posição social ou os planos

“Ninguém pode servir a dois Senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” (Mt 6:24)

Para o ser humano, obviamente não é possível, pelas leis da física, estar em dois lugares ao mesmo tempo. Mas possuir duas coisas ao mesmo tempo, sim. Uma mãe pode dar a luz à duas crianças de uma só vez; uma criança pode possuir dois brinquedos idênticos de uma só vez; pode-se ter dois carros na garagem etc. Porém, de acordo com as palavras de Cristo, não se pode servir a dois senhores. E por que não? Pelo fato de ele exigir do ser humano inteira exclusividade.
Cristo não divide a sua glória com nenhum ser animado ou inanimado. O primeiro mandamento da Lei de Deus diz: Não terás outros deuses diante de mim (Ex 20:13). Servir a Cristo deve ser o prazer daqueles que por ele foram salvos. Atente para um fato importante: o primeiro mandamento da lei de Deus não é a única passagem bíblica que expressa o dever da exclusividade a Cristo, visto ser ele Deus. Pedro disse a respeito de Jesus que não há salvação em nenhum outro (At 4:12a). Judas diz que ele é o único Soberano e Senhor (v.4).

Portanto, não permitamos que nada em nossa vida seja mais importante que Jesus. Deixemos que este tenha a primazia em nossa adoração. Em outras palavras, que o dinheiro, a posição social, o emprego, o carro, a casa, a família e os planos não substituam a pessoa de Cristo, pois ele não só merece, mas também exige a adoração exclusiva.

Ms Jailton Sousa Silva é colaborador do DEC (Departamento de Educação Cristã) da IAP.