Um regime em colapso

Como o povo líbio deseja o fim da ditadura de Kadhafi, ansiamos pelo fim do império das trevas

Muammar Kadhafi é uma das personalidades mais mencionadas pela mídia mundial neste ano. Isso, no entanto, não aconteceu por acaso. Ditador da Líbia por quase 42 anos, Kadhafi viu o seu regime ser ameaçado diante dos protestos de milhares de pessoas que saíram às ruas reivindicando a sua renúncia ao poder. Os motivos para os protestos do povo líbio não são incomuns: alto índice de desemprego, o preço exorbitante dos alimentos, importação demasiada de alimentos necessários ao abastecimento, gastos excessivos com o arsenal militar do regime, entre outros. Em outras palavras, a população estava sendo refém de uma pobreza alarmante e do desprezo de um governo opressor.

O país economicamente estava em boa situação. Isso pode ser facilmente constatado pelo fato de que o Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou que só, no ano passado, a Líbia cresceu 10,6%, com previsão para crescimento de 6,2% em 2011. Para o povo líbio, é inadmissível que tamanha riqueza e crescimento não se destine à população. O ditador, porém, não entregaria o poder de “mãos beijadas”. Ele enfrentou os manifestantes na base da força. Não hesitou em mandar suas tropas oprimir e massacrar violentamente aqueles que se opunham ao seu poder. A situação tornou-se tão grave e alarmante que outros países como EUA, França, Itália e Canadá tiveram de intervir militarmente.
Após muito derramamento de sangue e várias mortes, o regime de Kadhafi caiu. No domingo, dia 21 de agosto, o presidente americano Barack Obama já declarava que o regime mostrava “sinais colapso”. Foi, sem dúvida, uma boa notícia para o povo líbio, pois trouxe a esperança de dias melhores e sem opressão.

Mas a realidade do povo líbio nos chama a atenção para outro fato importante, a saber, a opressão do diabo. Paulo diz que ele é o deus deste século, que cega o entendimento dos incrédulos (II Co 4:4). O seu império encontra-se fortificado na vida daqueles que não se renderam ao Senhor Jesus e que resistem ao evangelho. Tais pessoas andam segundo as inclinações da carne, fazendo a vontade desta e dos pensamentos (Ef 2:3). Além disso, elas estão mortas em seus delitos e pecados (v.1).
Mas há uma boa notícia. Este império diabólico alicerçado em mentiras, seduções, opressões e pecado está com os dias contados! Quem nos assegura isso? A Bíblia, a Palavra de Deus. Ela afirma que na cruz, Cristo já triunfou sobre o diabo e seus principados e potestades (Cl 2:15). A morte de Cristo é a garantia de que o regime da maldade está em colapso (Hb 2:14)!. O destino de Satanás e dos que o servem será o lago de fogo e enxofre (Ap 20:10). Portanto, os que foram salvos pela graça divina podem festejar a queda do maligno, pois para este, pouco tempo lhe resta (Ap 12:12).

Ms. Jailton Sousa Silva é colaborador do Departamento de Educação Cristã da IAP.