ONTEM, HOJE, SEMPRE

“O coronavírus nos chama a considerar Deus como a realidade mais presente e importante em nossas vidas. Nossas vidas dependem dEle mais do que da respiração.” (John Pipper)¹

Ainda  lembro de alguns medos que me assolavam durante a infância:  medo do fim do mundo, da terceira guerra mundial, do alinhamento dos planetas. Quem  em sua inocência nunca teve medo de cachorro louco,  fantasma e bicho-papão?

Quando a gente é criança, não entende a verdadeira dimensão das coisas. Juntamos o que é real com a nossa imaginação e criamos situações que nos apavoram. Mas quando nos tornamos adultos e sabemos distinguir a realidade da fantasia, percebemos que a maioria de nossos medos de infância era irreal. Apesar disso, neste período de pandemia, pode parecer difícil manter o equilíbrio e não ter medos como: de perder o emprego, de passar por necessidades financeiras, de pegar e de transmitir o coronavírus, de perder pessoas queridas e até a própria vida.

Acredito que todo mundo já se sentiu assim pelo menos um dia em meio à situação atual. Porém, mesmo que tenhamos dificuldade para evitar, não podemos deixar que esses medos tomem conta de nós, tirem a nossa alegria e levem embora a nossa paz. Felizmente, em maior ou menor grau, a maioria de nós encontra formas razoáveis de lidar com essas situações. No entanto, nós que servimos a Deus, encontramos na Sua Palavra recursos espirituais valiosíssimos que não nos deixam sucumbir diante das circunstâncias.

A Palavra nos ensina que podemos vencer o medo sabendo que os desertos da vida nunca duram eternamente. Por mais que  não consigamos ver, um oásis pode brotar logo à frente.  Como diz o Salmista: “Depois de uma noite de choro, sempre há um novo dia de alegria.” ² Ainda não vemos, mas cremos!

            Nela também aprendemos que, além de cultivar a esperança, podemos vencer o medo, colocando nossos pensamentos naquilo que Deus fez, quando nos socorreu em momentos difíceis do passado. Foi o que fez o profeta Neemias, que num momento de angústia e muitas incertezas, vislumbrou um futuro melhor olhando para o que Deus já tinha feito:  “Todavia lembro-me também do que me pode dar esperança”.³

            Mas ainda que o medo insista em nos assolar, que pareça que tudo está desabando ao nosso redor, a Bíblia nos mostra que o nosso fim não é aqui, que temos um futuro glorioso e uma casa no céu onde todos os sofrimentos ficarão para trás. (4)

Por isso, mesmo que nossos planos tenham sido frustrados e que neste momento vejamos um futuro incerto para o país, para a economia e para a nossa própria vida, devemos lembrar que ao contrário de nossa fantasia de onipotência, em essência nunca tivemos controle sobre o nosso viver e nem sobre o que está por vir, pois, como diz Thiago “… Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo”.(5) Isso nos dá a certeza de que o melhor a fazer, especialmente no momento difícil que estamos vivendo é continuar crendo e dependendo dEle.

 

Referências:

  1. Pipper, John. Coronavírus e Cristo (trd. Vinícius Mussemean Pimentel) São José dos Campos, SP: Fiel, 2020.
  2. Salmos 30:1
  3. Lam 3:21
  4. Fil.3:20, Rom. 8:18

 

5.Tiago 4: 13-17

 

Romi Campos Schneider de Aquino. Casada com o pastor Luciano, mãe do Henrique e do Davi. Congrega em Colombo PR. Psicóloga, faz parte do MVP Geral.

Versão Digital

vin_aplictaivo_250px

ATENÇÃO: A forma de distribuição do conteúdo das Lições Bíblicas em formato digital mudou. Leia o AVISO para mais informações.

logo