Aposentado, mas não inútil

Passe adiante o que Deus lhe deu

Quando a merecida aposentadoria chega, muitos entendem de forma errada de que o que resta é a passividade e a inutilidade. Por pensarem de que a missão acabou, tomam a atitude de esquecer de viver e aguardar a morte.
Seria isto que Deus quer para os que estão na terceira idade? Com certeza não. Citando alguns personagens bíblicos lembramos que Noé tinha 600 anos quando construiu a arca. Abraão recebeu um chamado especial quando tinha 75 anos e foi pai aos 100 anos. Jacó estava com 97 anos quando lutou com um anjo. José, com 110 anos, deu ordem a respeito de seus ossos. Com 80 anos Moisés foi usado por Deus para libertar Israel do Egito. Com 85 anos Calebe assumiu a sua herança na terra prometida. A viúva Ana estava com 84 anos quando se alegrou e profetizou a respeito de Cristo Jerusalém. Paulo se denominou o velho quando escreveu para Filemon. João tinha em torno de 90 anos quando teve as visões apocalípticas em Patmos.
Assim, temos que ter consciência dos propósitos de Deus para as nossas vidas. Não podemos esquecer de que O Pai nos amou, o Espírito Santo nos convenceu do pecado e Jesus nos salvou pelo Seu precioso sangue. Que maravilha!!! Uma exclamação de “glória a Deus” por tudo isso é muito pouco, ainda bem que teremos a eternidade para adorá-Lo sem limites.
Somos palmeiras plantadas nos átrios do Senhor para cumprir o sublime dever de frutificar em todo o tempo e isto inclui a velhice.
E desde as primeiras profissões dadas à Adão como jardinagem, agricultura e biotaxia (dar nome e classificar os animais) até as dos nossos dias, as quais, aliás, em constantes mutações, são oportunidades dadas por Deus para glorificá-Lo.
Você já está seguro em Cristo e conta com a proteção de Deus: “Mesmo na sua velhice, quando tiverem cabelos brancos, sou eu aquele, aquele que os susterá. Eu os fiz e eu os levarei; eu os susterei e eu os salvarei.” Is. 64.4. “Já fui jovem e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado, nem seus filhos mendigando o pão. ” – Sl 37.25
Durante a sua vida teve experiência em muitas coisas, mas o que você mais ama? Perceba, não o que você mais sabe. Porque o melhor para fazer na terceira idade deve ser movido pelo amor. Porque não pôr uma cereja no bolo da sua história?
Se você trabalhar na terceira idade, fará um grande favor ao seu corpo, exercitando-o. Isto será bom.
Se trabalhar e ensinar alguém o que aprendeu, você estará passando os seus conhecimentos adiante, discipulando. Isto será ótimo.
Se trabalhar, discipular, escrever, gravar ou filmar você multidimensionará e perpetuará seus pensamentos por muitos anos. Isto será excelente.
Nunca é tarde para aprender, começar, repaginar ou concluir algo pessoal. Mas faça do seu jeito, na sua velocidade. É muito propício o pensamento de Clarice Lispector: “Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe. ”
Não esqueça também da grande lição geográfica do Mar da Galileia e do Mar Morto. O Mar da Galileia recebe as águas do Rio Jordão e as doa, deixando seguir o seu curso, por isso é cheio de vida e peixes. O Mar Morto apenas recebe as águas do Jordão e por apenas represá-las não possui nenhuma vida. Então passe adiante o que Deus lhe deu.
Além da vida, da sabedoria e da experiência, Deus também lhe deu uma linda coroa. Valorize-a!!! “O cabelo grisalho é uma coroa de esplendor, e se obtém mediante uma vida justa. ” – Pv16.31.
Pr. Elias Alves Ferreira, jubilado, atua no Ministério de Vida Pastoral Convenção Geral

epic_module_block_1-3
epic_module_block_21-2
epic_module_element_header-3

Versão Digital

vin_aplictaivo_250px

ATENÇÃO: A forma de distribuição do conteúdo das Lições Bíblicas em formato digital mudou. Leia o AVISO para mais informações.

logo