Deus de perguntas

O que pensar quando a resposta de Deus não é bem como imaginamos?

Deus é o Criador de todo o Universo, Jesus é o caminho, a verdade e a vida; e o Espírito é o Consolador prometido. Esses atributos, somados a tantos outros, revelam que Deus deve ser a rocha fundamental da nossa vida. Ele é a resposta para nossos dilemas. Mas o que pensar quando esperamos respostas e Deus nos faz perguntas?

Aquele que servimos não é um mero Google, um livro de autoajuda. Ele não nos cria, salva e aviva simplesmente para fazermos perguntas esperando que o Pai aja como um mero Google.

Definitivamente não, o Deus que servimos é muito mais cuidadoso, Ele se preocupa em nosso aprendizado através de nossas próprias reflexões.

Muitas vezes, como forma didática, Ele nos faz perguntas para que possamos refletir sobre diversos aspectos do Evangelho e de nossa própria vida.

Pense na pergunta feita por Deus a Adão logo após a queda, consumada pelo fruto proibido. Através dessa pergunta, Deus nos leva à reflexão sobre dois pontos. Primeiro: Hebreus 4:13 confirma o atributo onisciente de Deus e que nada está oculto aos Seus olhos. Sendo assim, é evidente que Ele não precisava perguntar a Adão, assim como não precisa perguntar a nós. Então por que Ele o faz? Porque o nosso Deus é Pai, e, sendo o Pai perfeito, quer criar um relacionamento conosco. Dessa forma, Deus nos pergunta, mesmo não precisando, como forma de criar uma ponte, um relacionamento, para que possamos confessar nossos pecados e nos comunicar com nosso Pai.

Segundo: Adão tinha comido o fruto proibido juntamente com Eva. Reparou que Deus não perguntou “O que você fez?”, mas sim “Onde Estás?”. Trazendo a reflexão para o aspecto do pecado, é possível perceber que Deus não quer apenas saber o que fizemos para depois confessarmos, mas sim nos levar à reflexão sobre as consequências do erro. O pecado de Adão é evidente: a queda. Contudo, a resposta à pergunta de Deus (Onde estás?) mostra que Adão estava escondido por conta de sua nudez, o que só ocorreu em razão do pecado.

Concluindo, tenha sempre em mente que Deus não tem a necessidade, mas sim o interesse, de nos perguntar o que fizemos e o que pensamos, com o objetivo de criar um relacionamento.

Por fim, de acordo com a pergunta feita por Deus, não pense apenas em seu pecado, mas em que situação ele coloca você, onde ele leva você.

O nosso Pai quer se relacionar conosco, quer nos dar a correta dimensão do que fazemos e nos livrar de toda e qualquer amarra.

 

Estevão Cardoso de Oliveira é estudante de Direito e congrega na IAP em Vila Maria (São Paulo, SP).

Versão Digital

vin_aplictaivo_250px

ATENÇÃO: A forma de distribuição do conteúdo das Lições Bíblicas em formato digital mudou. Leia o AVISO para mais informações.

logo